Diante de delegado, síndico e moradora fumam ‘cachimbo da paz’ em Praia Grande

Responsável por condomínio diz que mulher o ameaçou de morte. Partes se conciliaram na primeira audiência do Necrim no município

A primeira audiência do Núcleo Especial Criminal (Necrim) de Praia Grande aconteceu na última quarta-feira (14) e colocou um ponto final entre conflito envolvendo o síndico de um prédio e uma moradora. Ele acusou a condômina de ameçá-lo de morte. 

Clique aqui e assine A Tribuna por apenas R$ 1,90. Ganhe, na hora, acesso completo ao nosso Portal, dois meses de Globoplay grátis e, também, dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!

Sob a presidência do delegado Rodrigo Martins Iotti, o síndico Leandro Silva da Rocha, de 31 anos, e a aposentada Isaura Francisca Motta, de 65, celebraram Termo de Composição de Polícia Judiciária (TCPJ) e deixaram o Necrim apaziguados. 

“O TCPJ assinado pelas partes será remetido ao Poder Judiciário e, após homologação, valerá como sentença”, informou Iotti, coordenador do Necrim. Pelo acordo, síndico e moradora se comprometem a se tratarem com respeito e a manterem diálogo cordial. 

O núcleo funciona no mesmo prédio da DDM de Praia Grande, situado na Avenida Dr. Roberto de Almeida Vinhas, no Guilhermina. O edifício foi inaugurado no dia 30 de abril em solenidade virtual, por causa da pandemia do novo coronavírus. 

O Necrim promove a mediação de conflitos de infrações penais consideradas de menor potencial ofensivo. Além de desafogar o Judiciário, o órgão tem por objetivo prevenir a ocorrência de crimes mais graves. 

“Um caso que começa simples pode evoluir para uma ocorrência de gravidade, se não houver solução a tempo e eficaz”, disse o delegado. A Resolução nº 125/2010 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) permite esse tipo de conciliação pré-processual. 

Barulho no prédio 

Leandro registrou na Delegacia de Praia Grande, no dia 18 de setembro, boletim de ocorrência de ameaça contra Isaura. Segundo ele, a condômina reclamou de suposto barulho vindo do apartamento de outro morador, mas o problema não foi confirmado. 

A acusada teria ameaçado o síndico de morte, dizendo que acabaria com a vida dele, conforme a versão de Leandro, ao ser informada sobre a inexistência de barulho vindo do apartamento denunciado. 

O edifício fica na Rua Nicarágua, no Guilhermina. O episódio pacificado na audiência de conciliação no Necrim deverá tornar mais harmônica a vida no condomínio. Leandro até aceitou pedido de Isaura para melhorar a instalação da churrasqueira do prédio.

Tudo sobre: