Corpo de policial é achado em 'cemitério do PCC' na Baixada Santista

Bruno de Oliveira Gilbertoni estava desaparecido desde a madrugada de quarta-feira (13), quando foi visto pelo última vez assistindo o jogo do Palmeiras com amigos

O corpo do policial militar Bruno de Oliveira Gilbertoni foi encontrado na manhã deste sábado (16), em uma ilha próximo à Vila Esperança na cidade de Cubatão. O local é conhecido como o 'Cemitério do PCC' na Baixada Santista.

Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!

A corregedoria das Polícias Civil e Militar investigava o desaparecimento do PM desde quarta-feira (13). O oficial desapareceu após sair para assistir ao jogo do Palmeiras, com amigos, em São Vicente. 

Na ocasião, a mãe de Bruno contou que ele esteve com amigos em um encontro com torcedores do Palmeiras, para assistir a partida da equipe contra o River Plate, pela Copa Libertadores. 

"Viram que ele foi embora desse local por volta de 1h. Ele entrou no carro, sozinho, e depois disso ninguém mais o viu", contou. 

Bruno era PM do 6º Batalhão de Polícia Militar do Interior, em São Bernardo do Campo, no ABC Paulista. Ele morava em Praia Grande, com sua companheira, que avisou a família e os amigos do seu sumiço.  

Cemitério clandestino do PCC

O local é o mesmo onde dois homens enterraram o corpo do Investigador Anderson Diogo Rodrigues. O oficial foi sequestrado, torturado e morto em 2016.

Na ocasião, próximo à cova de Anderson, mais quatro covas foram encontradas. Em três delas haviam corpos de homens. 

Tudo sobre: