EDIÇÃO DIGITAL

Quinta-feira

9 de Julho de 2020

Centenas de presos fogem de penitenciária em Mongaguá; assista

Episódio ocorreu no fim da tarde desta segunda-feira (16) e representa a maior fuga em massa da região e uma das maiores do país

Mais de 200 presos, pelo menos, de acordo com as informações preliminares, escaparam do Centro de Progressão Penitenciária (CPP) Dr. Rubens Aleixo Sendin, em Mongaguá, no fim da tarde desta segunda-feira (16).

Mesmo que esse número não aumente, ele já representa a maior fuga em massa da região e uma das maiores do país. O estabelecimento é de regime semiaberto e abriga detentos oriundos de todo o estado.

Com capacidade para 1.640 homens, o CPP de Mongaguá abrigava 2.796, conforme balanço da Secretaria da Administração Penitenciária (SAP) da última sexta-feira (13).

Um vídeo registra o momento da fuga. Na gravação, é possível ver dezenas de detentos correndo e brincando entre si. “He he, voltar na segunda-feira”, gritavam, como se a fuga fosse um benefício de saída temporária com prazo de retorno determinado.

Até a manhã desta terça-feira (17), 172 presos já foram recapturados (Foto: Carlos Nogueira/AT)

Pela quantidade de fugitivos, presume-se que eles escaparam pela porta da frente, após renderem funcionários. Essa modalidade de fuga é conhecida por “cavalo doido”.

O alarme de fuga logo foi acionado, sendo mobilizados policiais militares e civis de Mongaguá e municípios vizinhos. Pelo menos um helicóptero da PM dava apoio no trabalho de recaptura dos presos.

A Tribuna apurou que a fuga teve início durante a recontagem dos presos, durante a tarde. Ao saberem que não teriam direito a uma saída temporária por decisão superior, colocaram em execução o plano de fuga.

Por volta das 22h30, sete funcionários que eram mantidos reféns foram liberados. O diretor de Disciplina da unidade comandou as negociações com os presos que se encontravam amotinados com as vítimas. Não há informações de feridos. Cerca de 100 fugitivos já haviam sido recapturados até o mesmo horário. Esse trabalho não tem hora para ser concluído. A recontagem dos detentos só deve ocorrer pela na terça-feira (17).

Prefeitura cancela aulas

A Prefeitura de Mongaguá, por meio de nota, informou que tomou medidas após a fuga de presos. Confira a íntegra do comunicado:

A Prefeitura de Mongaguá, diante do fato lamentável ocorrido nesta segunda-feira, dia 16, quando centenas de detentos fugiram do Centro de Progressão Penitenciária (CPP), por questões de segurança para a população, assim como para os servidores municipais, adotou a decisão de cancelar as aulas das creches e escolas municipais.

Nesta terça-feira, dia 17, a administração municipal fará uma atualização sobre o funcionamento das mesmas para o restante da semana.

Cabe ressaltar que está em curso uma ação conjunta das forças de segurança (Polícia Militar, Polícia Militar Rodoviária, ROMU de Mongaguá e Guarda Civil Municipal), a fim de recapturar os detentos.

A prefeitura alerta que a população evite sair de casa até que a situação se normalize. Se ver qualquer suspeito, ligue 190 ou 153.

Outras unidades prisionais

O Governo de São Paulo confirmou, na noite desta segunda-feira, que estão em andamento rebeliões em outros três presídios do estado, além de Mongaguá: nos centros de progressão penitenciária de Tremembé, Porto Feliz e de Mirandópolis, no interior.

De acordo com a Secretaria da Administração Penitenciária, as rebeliões ocorrem devido à suspensão da saída temporária, agendada para o mês de março, que ocorreria nesta terça. O benefício contemplaria mais de 34 mil sentenciados do regime semiaberto. 

“A medida foi necessária pois o benefício contemplaria mais de 34 mil sentenciados do regime semiaberto que, retornando ao cárcere, teriam elevado potencial para instalar e propagar o coronavírus em uma população vulnerável, gerando riscos à saúde de servidores e de custodiados”, disse a secretaria em nota.

Segundo a decisão, tomada pela Corregedoria Geral da Justiça de São Paulo, a pedido da SAP, suspender a saída de presos não configura supressão ao direito de saída temporária, “mas tão somente visa a resguardar a saúde coletiva da população carcerária neste momento crítico, com garantia de gozo oportuno, em perfeita harmonia entre o interesse individual e a supremacia do interesse público”, diz o texto da decisão.

De acordo com a SAP, o Grupo de Intervenção Rápida (GIR) e a Polícia Militar já estão agindo nas ocorrências. Não há registro até o momento de feridos também nas demais unidades do estado.

Vídeo flagrou a fuga de detentos do CPP de Mongaguá (Foto: Reprodução)
Tudo sobre: