Casal suspeito de balear policial da Rota durante roubo é preso em São Vicente

A tentativa de latrocínio aconteceu na madrugada de 31 de dezembro de 2018, em Praia Grande

Denunciado pelo Ministério Público (MP) sob a acusação de balear um soldado das Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota) logo após roubo e com prisão preventiva decretada, um casal foi capturado na sexta-feira (19), em São Vicente. A tentativa de latrocínio aconteceu na madrugada de 31 de dezembro de 2018, em Praia Grande.

A Corregedoria da Polícia Militar deflagrou operação para capturar Edvaldo Bruno Carneiro Lima, de 21 anos, e Stefani da Silva dos Reis, de 20. O órgão contou com a colaboração da Força Tática e das Rondas Ostensivas com o Apoio de Motocicletas (Rocam) do 39º BPM/I (São Vicente).

Inicialmente, os policiais realizaram varredura no Dique do Piçarro, mas o casal conseguiu fugir. As buscas continuaram e os réus foram preso na sequência em uma casa na Avenida Capitão Luís Antônio Pimenta, no Parque Bitaru. Edvaldo e Stefani eram procurados desde 3 de março de 2019.

Nesta data, o juiz Vinicius de Toledo Piza Peluso, da 1ª Vara Criminal de Praia Grande, decretou as preventivas do casal. As ordens de captura têm validade até 23 de março de 2029. Edvaldo e Stefani ainda não foram interrogados no processo e a defesa deles alega que são inocentes.

À paisana e de folga

O soldado da Rota levou um tiro na lateral direita do abdômen após um colega ter roubados celular e uma pistola calibre .40 da corporação. Eles estavam com uma terceira policial militar na faixa de areia da praia do Flórida quando foram rendidos por quatro ladrões. Um dos marginais portava arma de fogo.

Os PMs trabalhavam na Operação Verão, mas no momento do crime estavam de folga e à paisana. Após um dos marginais roubar o celular e a pistola de um dos policiais, o soldado da Rota perseguiu bando correndo e foi baleado. A vítima foi internada no Hospital Irmã Dulce e submetida a cirurgia. Os ladrões fugiram.

Horas depois, um acusado de participar do crime foi preso por policiais militares e autuado em flagrante na Delegacia de Praia Grande. Por meio dele, Edvaldo e Stefani foram identificados. O MP denunciou o casal e requereu a sua preventiva, mas ele permanecia foragido desde então.

José Carlos de Jesus Nogueira, advogado do casal (Foto: Arquivo Pessoal)

O advogado João Carlos de Jesus Nogueira disse que os clientes não participaram da tentativa de latrocínio. “Eles foram denunciados com base em frágil e questionável reconhecimento por meio de fotografia do Facebook. O grande crime deles é ser amigo de rede social do acusado preso em flagrante”.

Tudo sobre: