EDIÇÃO DIGITAL

Quarta-feira

27 de Maio de 2020

Casa onde menino foi morto durante operação policial tem 72 marcas de tiros

Familiares de João Pedro Matos Pinto acusam a polícia de ter forjado uma versão sobre a ação no Rio de Janeiro

A violência presente no confronto entre a polícia e traficantes em São Gonçalo, Rio de Janeiro, durante uma operação pode ser vista nas paredes da casa de João Pedro Matos Pinto, que foi morto enquanto brincava com seus primos. 

Segundo contagem feita por pessoas da comunidade, o lar do garoto de 14 anos tem 72 marcas de disparos. 

De acordo com Neilton Matos, pai do menino, a polícia teria forjado uma versão sobre a ação. "A polícia quer forjar uma situação. Não tinha bandido. Entraram na casa e atiraram duas granadas. Além dos tiros. Só tinha adolescentes de família".

Agentes que estavam na operação alegam que traficantes teriam invadido a casa, atirado e jogado granadas contra os oficiais, que revidaram. 

Parentes de João Pedro questionam a apreensão dos celulares de todos que estavam na casa. "Quem vai investigar? Levaram o celular do João Pedro. Levaram os celulares dos meninos que estavam juntos. Para quê?", questionou um amigo da vítima nas redes sociais.

*com informações do Extra

Tudo sobre: