EDIÇÃO DIGITAL

Sábado

8 de Agosto de 2020

Bando invade Usiminas em barcos e trava intenso tiroteio com policiais

Ação criminosa foi realizada por grupo composto por cerca de 10 homens. Policiais militares conseguiram frustar a investida para assaltar a empresa do Polo de Cubatão; ninguém foi preso

Cerca de dez homens armados utilizaram dois barcos para invadir a Usiminas, no Distrito Industrial de Cubatão, na sexta-feira (29) à noite. Informadas sobre o plano de assalto à empresa, três equipes do 2º Batalhão de Ações Especiais de Polícia (Baep) se dirigiram ao local. Após intenso tiroteio, os policiais militares frustraram a concretização do roubo. Ninguém foi preso.

Os criminosos fugiram a nado. Eles atravessaram o Rio da Onça para a margem oposta à da Usiminas. No lado da siderúrgica, junto ao mangue, o bando abandonou dois barcos com cerca de sete metros de comprimento cada. Por meio das embarcações, a Polícia Civil tentará identificar os integrantes da quadrilha.

Aparentemente, os ladrões não foram atingidos, mas prontos-socorros e hospitais da região são monitorados para a eventual entrada de alguém baleado. Os policiais escaparam ilesos. Um sargento, um cabo e um soldado atuaram na linha de frente do confronto. Os dois primeiros efetuaram, respectivamente, 25 e 30 disparos de fuzil. O terceiro policial atirou dez vezes com uma pistola calibre .40.

Segundo os policiais do 2º Baep, eles receberam denúncia anônima de que assaltantes em dois barcos invadiriam a Usiminas pelo Rio da Onça. Os PMs chegaram à empresa por volta das 22 horas e a equipe de segurança da siderúrgica lhes indicou onde fica o rio. Para se aproximar do local, os patrulheiros tiveram que desembarcar das viaturas.

Os marginais já estavam na área da empresa. Eles tinham saído dos barcos, mas ainda permaneciam às margens do Rio de Onça. Ao notarem a aproximação dos policiais, abriram fogo, dando início ao tiroteio. Cessado o confronto, os PMs realizaram varredura pelo mangue, mas todos os ladrões conseguiram fugir a nado. O caso foi registrado na Delegacia de Cubatão. 

Tudo sobre: