EDIÇÃO DIGITAL

Sexta-feira

22 de Novembro de 2019

Baep anuncia prisão de número 2 do PCC em São Vicente

Antrax, há mais de dez anos no noticiário policial, é tido como traficante de armas e drogas

O 2º Batalhão de Ações Especiais de Polícia (Baep), da Polícia Militar, prendeu nesta sexta-feira (11), em São Vicente, um suspeito de ser o número 2 da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC). Apelidado de Antrax, Orlando Pereira da Silva era procurado por roubo e homicídio e, segundo a corporação, “vem atuando de forma intensa no tráfico de drogas e armas na Baixada Santista”.

Antrax está no noticiário policial há mais de dez anos. Em outubro de 2006, constava como o nome principal de um braço do PCC denominado Conexão BNH, de Santos, formado por 15 integrantes – na época, três deles adolescentes.

Apesar de, na ocasião, Antrax estar detido na Penitenciária 2 de Presidente Venceslau (SP), ele era apontado como comandante do esquema criminoso, cuja principal atividade era o tráfico de drogas.

Dossiê da Delegacia de Investigações sobre Entorpecentes (Dise) de Santos indicava que, da cadeia, ele transmitia ordens ao restante da quadrilha por celular e pombos-correios – possivelmente, visitantes da prisão e advogados.

As investigações haviam começado em junho daquele ano. Policiais apuraram a ligação do bando com o grupo de um israelense que cumpria pena por tráfico na Penitenciária de Assis (SP) e liderava a venda de ecstasy para os santistas.

Descontentes com prisões sucessivas após o início dessas apurações, membros da Conexão BNH tentaram matar um investigador que morava perto do conjunto habitacional. Saiu ileso, mas sua residência foi alvejada cerca de 30 vezes.

Apesar de os membros da conexão terem o BNH da Aparecida como principal reduto, a compra e a venda de drogas não tinham limite geográfico, como concluía o dossiê. A maioria dos negócios era definida no sistema penitenciário.

A prisão

Conforme o Baep, Antrax foi abordado no Itararé, durante patrulhamento, e apresentou um documento. A prisão ocorreu por volta das 19h50, após se constatar que usava identificação falsa.

Policiais o levaram para a Delegacia Sede de São Vicente, onde acabou indiciado por mostrar documentação inverídica e preso, também, por “seu processo criminal em aberto”.

Ainda segundo o batalhão, Antrax “tem vasta ficha criminal, sendo anteriormente indicado pelos crimes de formação de quadrilha, roubo, uso de documento falso, tráfico de drogas, homicídio, entre outros”.

Tudo sobre: