Associação criminosa de roubo de motos é desmantelada em Peruíbe

Veículos foram roubados no pátio do Detran no mês de outubro

As investigações para esclarecer roubos de motos em Peruíbe também resultaram na descoberta de uma central de fraudes para realizar saques emergenciais do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). Cinco rapazes foram presos em flagrante pelos crimes de associação criminosa e posse ilegal de arma de fogo.

Clique aqui e assine A Tribuna por apenas R$ 1,90. Ganhe, na hora, acesso completo ao nosso Portal, dois meses de Globoplay grátis e, também, dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!

Entre os vários roubos atribuídos à quadrilha, o mais ousado aconteceu no pátio de veículos de Peruíbe. De uma só vez, o bando invadiu o local e levou sete motos no último dia 13. Cinco dias depois, os ladrões retornaram, mas desta vez não conseguiram consumar novo assalto.

De uma só vez, o bando invadiu o local e levou sete motos (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

Policiais da Delegacia e do 1º DP de Peruíbe realizaram trabalho conjunto para identificar os criminosos e chegaram ao nome de Vitor dos Santos Silva, de 20 anos. O rapaz teve a prisão temporária decretada pela Justiça, mas conseguiu escapar de um cerco na terça-feira (20), ocasião em que foram recuperadas duas motos levadas do pátio.

As investigações avançaram e os policiais descobriram que Vitor e os comparsas alugaram uma casa de alto padrão na Rua Amazonas para se reunir e guardar os veículos tomados de assalto. De posse de mandado de busca e apreensão, os agentes foram ao imóvel na manhã de quinta-feira (22).

Material usado para cometer fraudes foi apreendido (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

Vitor foi capturado na residência, onde foi achado um revólver calibre 38. Municiada com quatro balas, a arma está com a numeração raspada. Também foram apreendidos na casa um automóvel Hyundai i30, usado no assalto ao pátio, e duas motos de luxo (BMW F800 GS marrom e Yamaha XT 660R preta), ambas sem queixa de furto ou roubo.

Os investigadores ainda se depararam com farto material destinado ao cometimento de fraudes, como notebook e vários chips de celulares cadastrados em nome de terceiros. Os golpes consistem na criação de perfis falsos no aplicativo Caixa Tem, da Caixa Econômica Federal, destinado aos pedidos de saques emergenciais do FGTS.

Objetos foram apreendidos em residência usada pelo bando (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

Demais presos

Embora não tivessem a prisão decretada pela Justiça, porque sequer haviam sido identificados, mais quatro jovens foram detidos na quinta-feira, após a captura de Vitor. Eles são Eduardo José Batista Júnior, de 18 anos, Davi Aragão, de 19, e os irmãos Roberto Jesus de Figueiredo, de 24, e Romário Rodrigues Reis Jesus de Figueiredo, de 22.

O delegado Arilson Veras Brandão autuou os cinco jovens por associação criminosa, sob a justificativa de que os indícios demonstram estarem eles de comum acordo unidos para praticar delitos. O crime de posse ilegal de arma de fogo também foi atribuído ao grupo, porque o revólver estava na casa à disposição de todos, podendo ser compartilhado.

Revólver foi apreendido na operação (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

Um celular roubado também foi apreendido na casa. Os rapazes já foram reconhecidos em alguns dos roubos de motos sob investigação. Os saques indevidos do FGTS ainda serão apurados. Para o delegado, no imóvel funcionaria uma central para o cometimento dessas fraudes, mas é necessária uma checagem mais aprofundada.

Tudo sobre: