EDIÇÃO DIGITAL

Quarta-feira

12 de Agosto de 2020

Marina Silva exalta biodiversidade da Baixada Santista e comenta sobre o potencial da região

Ex-ministra considerou que a região de Mata Atlântica e manguezal da Baixada Santista deve ser preservada e tem potencial para geração de empregos

O desenvolvimento sustentável na região da Baixada Santista foi um dos assuntos comentados pela ex-ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, durante live realizada no Facebook do Grupo Tribuna nesta terça-feira (7). Ativista pela preservação ambiental, ela considera que a região de Mata Atlântica e manguezal pode ser atrativo para o turismo, e ainda gerar empregos.

Marina conta que a família de seu marido é de Santos, e por isso teve a oportunidade de passar quase dois anos vivendo na cidade na década de 1990. “Conheço um pouco as riquezas e potencial da Baixada Santista. A maior riqueza, que é um atrativo muito grande para o turismo, é as praias, a Mata Atlântica, toda essa região geográfica tão privilegiada. São áreas que são verdadeiros oásis para a nossa vista, sobretudo para quem vem de uma grande cidade”.

Para garantir a preservação destes locais, ela diz que é importante que as pastas do Desenvolvimento estadual e municipal tenham foco no saneamento básico, que é capaz de gerar renda e emprego na despoluição do litoral de alguns municípios. “Com certeza algumas cidades sofrem graves problemas de poluição”, diz.

“É fundamental que se tenha cuidado com empreendimentos que são feitos sem observar os requerimentos ambientais, e a questão dos portos. Isso não deve ser feito em prejuízo da preservação ambiental nem em prejuízo dos manguezais, de áreas que são a razão de ser dessa região que é tão bonita”, afirma a ex-ministra.

A geração de renda a partir do turismo ambiental em regiões preservadas da Baixada Santista, segundo Marina, é digna de investimento. “É um privilégio ter essa região propensa para o turismo, para os serviços, para a área de comércio, são várias alternativas que podem ser cada vez mais incrementadas para que haja desenvolvimento e geração de emprego sem a destruição dos remanescentes de Mata Atlântica, que são tão importantes para o Estado de São Paulo e para a preservação dessa floresta, que com certeza é uma das mais bonitas do mundo”, conclui.

Assista a live completa aqui:

Tudo sobre: