EDIÇÃO DIGITAL

Sábado

15 de Agosto de 2020

Onde Investir: Renda fixa mais barata

Apesar da queda das bolsas, investidores de renda fixa também enfrentaram perdas em função dos impactos causados pelo coronavírus

Apesar da queda das bolsas ter dominado os holofotes do impacto do coronavírus no mercado financeiro, os investidores de renda fixa também enfrentaram perdas.

De forma incomum, mas não inédita, fundos de títulos públicos e crédito privado, inclusive DI, viram suas cotas desvalorizarem. Não escaparam nem os investidores do Tesouro Direto. Neste caso dos papéis do governo, perdeu dinheiro quem fez saques ou planejava realizá-lo agora.

Entretanto, aquele que não tem intenção de resgatar Tesouro Prefixado (LTN) ou IPCA não terá prejuízo. Basta permanecer no investimento até a data final para receber a taxa contratada logo no ato da compra. 

Esses fundos ainda estão longe de se recuperarem, mas esboçaram alguma reação. Alguns estão no azul, ainda que com retornos desanimadores, e outros perdem menos do que nos meses passados. Como o mercado está instável, surpresas ruins não podem ser descartadas.

Com essas perdas, ficou claro que a renda fixa não é tão segura como se diz, considerando a rentabilidade. Essa queda, como a coluna já explicou antes, se deu porque há uma expectativa futura de juros altos. Portanto, as cotas que são hoje negociadas se desvalorizaram na marcação a mercado.

Essa operação é a troca de juros em queda por taxas melhores. Na prática, é parecido com a bolsa – abre-se mão do que vale menos e, quando a maioria faz isso ao mesmo tempo, a perda de valor é geral. 
Assim como no caso da bolsa, a melhor solução é esperar pela calmaria. Mas, cuidado, com presidentes explosivos como Jair Bolsonaro e Donald Trump, além das incertezas que persistem com o coronavírus, novos sustos podem ocorrer. Grandes empresas podem quebrar e contaminar o que vier pela frente. 

Ruim para quem precisa de dinheiro agora. Se fizer o saque vai ter perda na certa. Se não, espere. Ou até invista mais. Gestores de fundos dizem que essas cotas que se desvalorizaram ficaram baratas. Mas, atenção: os juros não voltarão tão cedo a ficarem atraentes e qualquer ganho decimal já será uma conquista.

Se vai investir, verifique o histórico do fundo dos últimos anos e não apenas dos meses recentes. Observe, por exemplo, o desempenho dele em 2017, quando o mercado despencou durante o Governo Michel Temer. Uma administração experiente em crises conta muito agora. 

Tudo sobre: