Logo A Tribuna
ASSINE
Icone usuario ENTRAR
CLUBE IMPRESSO ACERVO ASSINANTE

Investimentos com FGTS despencam de 30%, alerta entidade

Governo federal estuda nova retirar de dinheiro do Fundo; especialistas creem em redução em obras de infraestrutura

Por: Por ATribuna.com.br  -  27/01/21  -  15:31
Investimentos do FGTS têm caído ao ano ano, alerta entidade
Investimentos do FGTS têm caído ao ano ano, alerta entidade   Foto: Divulgação

Os recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) destinados àinfraestrutura urbana caíram 30% no último ano. Conforme o balanço oficial, houve uma retração de quase R$ 1 bilhão para as áreas de habitação popular e saneamento básicona comparaçãoentre 2019 e 2020. Entidades dizem que essa queda terá impacto na retomada da economia.


Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!


E o volume de recursos para financiar projetos urbanos deve cair ainda mais esse ano.Pressionada por recrudescimento da pandemia,aequipeeconômica estuda liberar saque de mais R$ 12 bilhões do programa.“Além de esvaziar ainda mais o FGTS, este dinheiro não salvará a economia nem a vida de milhões de brasileiros que não têm recursos no Fundo e dependiam do auxílio para sobreviver nesta crise, como é o caso de desempregados e trabalhadores informais”, alerta, em nota, aFederação Nacional das Associações do Pessoal da Caixa Econômica Federal (Fenae)


Segundo a entidade, a queda na aplicação do recurso ocorreano a ano. Conforme dados do site oficial do Fundo, os valores executados no setor de saneamento caíram mais de 30%: saíram de R$ 2,25 bilhões em 2018 para R$ 1,97 bi em 2019 e R$ 1,36 bilhão, ano passado.


Em habitação, o orçamento do FGTS para a concessão de financiamentos a famílias com renda bruta mensal de até R$ 4 mil sofrerá uma queda de R$ 14,5 bilhões: reduzirá de R$ 48 bilhões (em 2020) para R$ 33,5 bi este ano, de acordo com a Caixa.


Na área de infraestrutura urbana, os valores executados com recursos do Fundo de Garantia também foram reduzidos: saíram de R$ 909 milhões em 2019 para R$ 859 milhões, ano passado.


Em relação ao setor de habitação popular, os investimentos com recursos do FGTS diminuíram quase R$ 2 bilhões: foram R$ 54,3 bilhões em 2019 e R$ 52,6 bilhões em 2020. Além de reduzir em 5,8% a quantidade de unidades habitacionais (de 448.013 para 421.826 moradias), a queda de investimentos ainda impactou na geração de empregos neste segmento: as oportunidades de trabalho caíram 11,5%.


Lucro despenca


No último dia 14, aFenaereforçou que o lucro líquido do FGTS deve cair pela metade. Em novembro de 2020, o resultado foi de R$ 6,894 bilhões. No mesmo mês de 2019, R$ 11,703 bilhões. Os dados indicam que a tendência é que a consolidação do lucro do Fundo relativos ao último mês de dezembro siga esta trajetória de queda.


Ano a ano, o lucro líquido do FGTS vem despencando. O balancete de novembro de 2015 — portanto, antes das novas modalidades de saques do Fundo, iniciadas no governo Temer — mostra um resultado de R$ 14,8 bilhões naquele ano. Em 2019, os depósitos foram de R$ 128,7 bi ante R$ 162,9 bilhões em saques – uma diferença negativa de R$ 34,2 bi. No acumulado de janeiro a outubro de 2020, os saques de recursos do Fundo superaram a arrecadação em R$ 7,076 bilhões.


Logo A Tribuna