EDIÇÃO DIGITAL

Domingo

20 de Outubro de 2019

FGTS: Governo pode liberar saque de até 35% do saldo de contas ativas

Expectativa do Ministério da Economia é que medida irá injetar R$ 42 bilhões na economia

O Governo Federal estuda a liberação, para os trabalhadores, do saque de até 35%  do saldo das contas ativas (contratos de trabalho atuais) do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). De acordo com o Ministério da Economia, a expectativa é que a medida possa injetar até R$ 42 bilhões na economia. As informações são do jornal O Estado S. Paulo.

O plano é uma tentativa de reanimar a economia, via consumo. Junto com a liberação dos recursos do FGTS, haverá também mais uma rodada de saques do PIS/Pasep.

Segundo a publicação, fontes que participaram de uma reunião no Ministério da Economia, na última terça-feira (16), informaram que uma das ideias é autorizar os saques na seguinte proporção: quem tem até R$ 5 mil no fundo, poderia pegar 35% do saldo; trabalhadores com até R$ 10 mil no FGTS teriam autorização para sacar 30%. Ainda se discutia qual parcela terá direito quem tem entre R$ 10 mil e R$ 50 mil no FGTS. Acima de R$ 50 mil, o trabalhador só poderia sacar 10% do saldo total.

O texto informa ainda que o calendário de liberação seria feito pela data do aniversário, assim como foi feito nas contas inativas (de contratos já encerrados). Os trabalhadores que já fizeram aniversário este ano já teriam direito ao benefício assim que for autorizado.

Segundo o Estadão, o governo também estuda limitar o saque da totalidade do FGTS para trabalhadores demitidos sem justa causa. Hoje, quem é demitido sem justa causa pode retirar toda a verba que tem no fundo, com rendimentos, além de uma multa de 40% sobre esse valor.

*Com informações do jornal O Estado de S. Paulo

Tudo sobre: