Logo A Tribuna
ASSINE
Icone usuario ENTRAR
CLUBE IMPRESSO ACERVO ASSINANTE

Fase vermelha no Ano Novo impactam na 1º quinzena de vendas de janeiro, diz Associação Comercial

Entidade alerta que o fechamento das lojas no início do ano fez cair 7,8% o volume de comercialização, se comparado com mesmo período de 2020

Por: Por ATribuna.com.br  -  28/01/21  -  21:41
Associação comercial teme novas perdas do setor com regra mais rígida do Plano SP
Associação comercial teme novas perdas do setor com regra mais rígida do Plano SP   Foto: Matheus Tagé/AT

O fechamento do comércioentre osdias 1e 3 de janeiro, quando foi adotada a fase vermelha do Plano SP,refletiu na prévia do Balanço de Vendas deste mês da Associação Comercial de São Paulo (ACSP). A entidade credita à regra rígida do governo paulista para conter a escalada de transmissão de Covid-19 para uma retraçãode7,8%o volume de comercialização no comércio, na comparação com o ano anterior.


Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!


O indicador, com base nos dados fornecidos pela Boa Vista S/A, aponta que houve uma queda nas vendas, considerando o movimento do comércio relacionado à primeira quinzena de janeiro de 2020. “Aretração vista agora nesta prévia do Balanço de Vendas tinha tudo para ser reduzida no fechamento do mês”, cita a entidade, por meio de nota


Este índice negativo é resultado também da alta da inflação de produtos de primeira necessidade como arroz e leite e do fim do auxílio emergencial que deixaram a população com menos poder de consumo no varejo.


Todo este baixo fluxo registrado no comércio representou ainda uma queda de 41,3% nestes primeiros 15 dias do mês comparada ao mesmo período de dezembro.


“Não existe venda adiada; venda adiada é venda perdida”, disse Marcel Solimeo, economista da ACSP, referindo-se aos dias que as lojas não funcionaram no início do ano. “O ano terminou ainda com o agravante da alta dos preços de alimentos e de outros itens essenciais e, agora, ainda temos que registrar o fim do pagamento do auxílio emergencial”, emendou. “O bolso do consumidor está mais vazio”, afirma.


Segundo ele, aeconomiaapresentavasinaisse recuperando desde o fim dejunho do ano passado. Datava daquelemomentoa adoção das medidas de flexibilização para o comércio.


A entidade acredita que em nova retração nas vendes com a adoção dafase vermelha da quarentena, que permite o funcionamento apenas de serviços essenciais,das 20 às 6 horas em dias úteis desde a última segunda-feira (25) em todo Estado. Essa medida deve ser mantidaaté 8 de fevereiro.As regras valem para as 24 horas dos sábados, domingos e feriados.


Logo A Tribuna