Comprar moedas aos poucos é dica para quem pretende viajar ao exterior

Investir todo mês serve para atenuar as altas do câmbio

Por: Nathália de Alcantara  -  07/09/21  -  10:00
 Alguns países já reabriram as portas aos brasileiros: com vários riscos, analistas sugerem compra parcelada para reduzir o impacto das altas
Alguns países já reabriram as portas aos brasileiros: com vários riscos, analistas sugerem compra parcelada para reduzir o impacto das altas   Foto: Saulo dias/Photopress/Estadão Conteúdo

Os países começam a reabrir as portas para brasileiros e quem tem planos de viajar para fora do País já deve começar a comprar moeda estrangeira o quanto antes. Segundo o especialista em câmbio, finanças e banking, Anderson Souza Brito, é preciso começar a comprar moeda assim que surgir o sentimento de querer viajar.


Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!


“É preciso se organizar para comprar um valor por mês, por exemplo. Se eu recebo dia 5, posso me planejar para essa compra no dia 10. Assim, é estar preso a um preço médio e não à variação externa, que tem influências como política e até a vacinação contra a covid-19. O momento ideal é aquele que você tem recursos para adquirir”, afirma.


Para Brito, que é CEO da operadora financeira Revhram, a desconfiança do mercado de investir no Brasil e as oscilações externas mexem com o preço do dólar, por isso o indicado é manter a sua programação de comprar moeda aos poucos. “Tenho um casal de amigos que estava com uma viagem programada para o Egito há um ano e a ideia era levar US$ 3,5 mil. Como eles ficaram aguardando o dólar chegar a R$ 5,00 e deixaram chegaram muito perto da data da viagem para comprar moeda, levaram apenas US$ 1 mil”.


Anderson recomenda que o planejamento deve começar quando se toma uma decisão. “Deixar para a última hora é uma loteria e a possibilidade de ganho é remota. A proteção é comprar moeda aos poucos e avaliar o custo médio. Isso também é bom para a pessoa se acostumar com o que está acontecendo no mercado, com as variações, e não se assustar. Quem não acompanha o mercado financeiro e vê isso todos os dias vai pensar no assunto só quando for viajar, ou seja, esporadicamente”.


Variações
A expectativa das eleições presidenciais de 2022 deve causar novo abalo no preço do dólar, explica o economista Fabio Guimarães. “Vejo que o cenário não é favorável. A tensão eleitoral sempre causa uma grande turbulência na cotação do dolar. A sugestão é: quem pensa em viajar no próximo ano deve levar em conta todas essas mudanças o quanto antes”.


Ele diz ainda que é preciso analisar para onde se vai, quando e quanto de dinheiro se deve levar. “Todo o cálculo deve considerar passeios, se serão feitas compras, lugares a visitar. É necessário fazer uma pesquisa para se planejar adequadamente e não ser surpreendido com falta de dinheiro. Não há nada pior do que a viagem ideal terminar frustrada por falta de organização”.


Logo A Tribuna