Logo A Tribuna
ASSINE
Icone usuario ENTRAR
CLUBE IMPRESSO ACERVO ASSINANTE

Vacinas da Índia contra a Covid-19 chegam ao Brasil nesta sexta-feira

País aguarda milhões de doses da vacina produzida pela Universidade de Oxford e a farmacêutica AstraZeneca

Por: Do Estadão Conteúdo  -  21/01/21  -  23:00
Atualizado em 21/01/21 - 23:27
Parlamentares reagiram negativamente à possibilidade da vacinação começar depois de outros países
Parlamentares reagiram negativamente à possibilidade da vacinação começar depois de outros países   Foto: Divulgação

O Ministério da Saúde confirmou no período da tarde desta quinta-feira (21) que as doses da vacina contra a covid-19 vindas daÍndiadevem chegar ao Brasil na sexta-feira (22), no fim da tarde. Nota oficial divulgada pela Secretaria Especial de Comunicação Social (Secom) confirmou a notícia antecipada pela agênciaReuterse reproduzida pelo presidente Jair Bolsonaro em suas redes sociais no período da tarde desta quinta.


Ao contrário do planejado pelo governo na semana passada, as vacinas Oxford/AstraZeneca virão em voo comercial da companhia Emirates.


Antes, o Ministério da Saúde planejava buscar as doses em um avião adesivado.


O início da vacinação da população indiana, contudo, atrasou a entrega dos imunizantes negociados com o Brasil, previstos inicialmente para chegar no último domingo (17).


Agora, as doses serão transportadas pela Azul de São Paulo para o Rio de Janeiro.


"O Ministério da Saúde informa que as 2 milhões de doses da AstraZeneca devem chegar ao Brasil nesta sexta-feira, 22, no fim da tarde. A carga vinda daÍndiaserá transportada em voo comercial da companhia Emirates ao aeroporto de Guarulhos e, após os trâmites alfandegários, seguirá em aeronave da Azul para o aeroporto internacional Tom Jobim, no Rio de janeiro", informou a nota.


O governo federal iniciou a vacinação contra a covid-19 no Brasil nesta semana com apenas 6 milhões de doses da Coronavac.


Isso porque, desde a semana passada, o País aguardava a chegada das 2 milhões de doses da vacina produzida pela Universidade de Oxford e a farmacêutica AstraZeneca, vindas daÍndia. O uso emergencial das duas vacinas foi aprovado pela Anvisa no último domingo.


Logo A Tribuna