OMS cita cautela com dados sobre eficácia de vacinas contra Ômicron limitados

Segundo organização, informações estão baseadas em "números pequenos" e podem estar enviesadas

Por: Estadão Conteúdo  -  24/12/21  -  14:36
A nota ainda destaca que já há
A nota ainda destaca que já há   Foto: Reprodução/Unsplash

Em nota divulgada nesta sexta-feira, 24, a Organização Mundial da Saúde (OMS) reafirmou que as informações sobre eficácia ou efetividade das vacinas para a covid-19 disponíveis atualmente na proteção contra a variante Ômicron ainda são "limitadas" e devem ser vistas com cautela, uma vez que estão baseadas em "números pequenos" e podem estar enviesadas.


Clique, assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe centenas de benefícios!


Empresas como Pfizer e AstraZeneca relataram baixa eficácia de seus imunizantes contra a Ômicron após um regime de vacinação de duas doses, mas a proteção aumentou para um nível mais robusto após a aplicação de uma terceira dose, destaca a OMS.


Quanto à gravidade dos quadros da doença provocados pela nova cepa, o órgão multilateral comenta que os primeiros dados da África do Sul, Reino Unido e Dinamarca sugerem um risco reduzido de hospitalização com a Ômicron em comparação com variante Delta


"No entanto, o risco de hospitalização é apenas um aspecto da gravidade, que pode ser alterado pelas práticas de admissão", ressalta a OMS.


A nota ainda destaca que já há "evidência substancial" de que a Ômicron é mais transmissível.


"A Ômicron está se espalhando significativamente mais rápido do que a variante Delta em países com transmissão comunitária documentada, com um tempo de duplicação de 2 a 3 dias", diz a entidade.


Logo A Tribuna