Logo A Tribuna
ASSINE
Icone usuario ENTRAR
CLUBE IMPRESSO ACERVO ASSINANTE

Após se recuperar de Covid-19, pacientes relatam alteração persistente no olfato

Disfunção do olfato é chamada de parosmia e o número de pessoas com o distúrbio vem crescendo, mas cientistas desconhecem o motivo certo para isso acontecer ou como curar

Por: Por ATribuna.com.br  -  30/01/21  -  17:15
Os diagnósticos mais comuns são rinite alérgica, asma e sinusite
Os diagnósticos mais comuns são rinite alérgica, asma e sinusite   Foto: Brittany Colette/Unplash

Ao ser infectado pelo coronavírus, um dos principais sintomas é a perda do olfato. Mas aos poucos, da mesma forma que as pessoas se recuperam, elas costumam voltar a sentir os cheiros. Entretanto, para alguns pacientes de Covid-19, nem a recuperação trouxe de volta o sentido e muitas vezes, tudo parece ter um cheiro diferente do comum.


Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!


A britânica de Clare Freer, de 47 anos, sofre com a consequência da Covid-19 há sete meses. Ela explica que não consegue fazer comida para sua família, pois fica tonta. De acordo com Freer, a maioria dos cheiros que ela sente são desagradáveis.


Um dos únicos alimentos que a britânica consegue tolerar são pão e queijo, sendo estes suas fontes de alimentação. Desta forma, além da fraqueza e dor no corpo, ela sente que o problema a afetou psicologicamente.


Parosmia


A disfunção do olfato é chamada de parosmia, o transtorno quemodifica determinados cheiros. Constantemente, o número de pessoas com o distúrbio vem crescendo. Porém, cientistas não sabem ao certo o motivo disso acontecer ou como curar.


*Com informações do BBC News


Logo A Tribuna