WhatsApp apresenta instabilidade no mundo todo

Internautas na América do Sul, Europa, Ásia e África usaram o Twitter para relatar problema

Por: Estadão Conteúdo  -  25/10/22  -  07:52
Atualizado em 25/10/22 - 14:04
WhatsApp registrou instabilidade no mundo todo nesta terça-feira (25)
WhatsApp registrou instabilidade no mundo todo nesta terça-feira (25)   Foto: Reprodução: Pixabay

Os usuários do WhatsApp foram surpreendidos, na manhã desta terça-feira, 25, com uma instabilidade na plataforma. O mau funcionamento do aplicativo foi sentido em diferentes partes do mundo. Internautas na América do Sul, Europa, Ásia e África recorreram a outras redes sociais, como o Twitter, para reclamar que não estavam conseguindo enviar nem receber mensagens. O termo "WhatsApp" rapidamente ocupou o primeiro lugar no Trending Topic.


Clique, assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe centenas de benefícios!


De acordo com a plataforma Downdetector, que monitora, em tempo real, problemas e falhas em todos os tipos de serviço, as notificações sobre a queda do WhatsApp começaram por volta das 3h da madrugada, com pico de reclamações às 5h19. Mais de 7 mil notificações foram reportadas. Por volta das 6h, os usuários já começaram a relatar o retorno do serviço.


A Meta, empresa que gerencia o WhatsApp - e outras redes, como Instagram e Facebook, confirmou a falha e indicou que estava trabalhando para restaurar o serviço "o mais rápido possível".


Essa não é a primeira vez que o aplicativo apresenta instabilidade. A pior delas ocorreu há pouco mais de um ano, em 4 de outubro de 2021, quando um grande apagão afetou as principais plataformas gerenciadas pela Meta. No horário de almoço, todos os serviços, incluindo Facebook, WhatsApp e Instagram, pararam de funcionar.


Durante o que se atribui a uma manutenção de rotina, um erro interno na companhia de Mark Zuckerberg causou uma queda nos servidores que deixou várias pessoas e empresas no escuro, sem comunicação por quase um dia inteiro. Esse episódio gerou um prejuízo de quase US$ 6 bilhões para o patrimônio pessoal de Zuckerberg, um dos homens mais ricos do mundo.


Logo A Tribuna
Newsletter