Piloto do Afeganistão é morto em ataque reivindicado pelo Talibã

Artefato explosivo foi colocado no carro da vítima

Por: Agência Brasil  -  08/08/21  -  01:00
 Azimi trabalhava com a Força Aérea do Afeganistão há quase quatro anos
Azimi trabalhava com a Força Aérea do Afeganistão há quase quatro anos   Foto: Imagem Ilustrativa/Pixabay

Um piloto da Força Aérea do Afeganistão foi morto por uma bomba em um distrito de Cabul, neste sábado (7), segundo autoridades, em um ataque reivindicado pelo Talibã. O piloto morto, Hamidullah Azimi, estava em trânsito quando uma bomba presa ao seu veículo disparou, disseram as autoridades, acrescentando que cinco civis ficaram feridos na explosão.


Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!


Azimi era treinado em helicópteros UH 60 Black Hawks fabricados pelos Estados Unidos e trabalhava com a Força Aérea do Afeganistão há quase quatro anos, afirmou o comandante da Força Aérea afegã, Abdul Fatah Eshaqzai.


Ele havia se mudado para Cabul com a família um ano atrás devido a ameaças à sua segurança, acrescentou Eshaqzai.


O porta-voz do Talibã, Zabihullah Muhajid, disse, em um comunicado, que o Talibã havia realizado o ataque.


A agência de notícias Reuters foi a primeira a detalhar uma campanha do Talibã para assassinar pilotos fora das suas bases, que autoridades afegãs afirmam ter custado a vida de pelo menos sete pilotos afegãos antes do assassinato deste sábado.


O Talibã confirmou um programa que “visaria e eliminaria” pilotos afegãos treinados pelos EUA.


Autoridades dos Estados Unidos e do Afeganistão acreditam que atacar os pilotos é uma tentativa deliberada do Talibã de destruir tropas militares do Afeganistão de pilotos treinados pelos EUA e pela Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN), à medida em que os conflitos ficam mais graves no país.


Logo A Tribuna
Newsletter