Logo A Tribuna
ASSINE
Icone usuario ENTRAR
CLUBE IMPRESSO ACERVO ASSINANTE

Papa Francisco dedica oração aos afetados pela covid-19 em Manaus

A capital do Amazonas vive uma grave crise sanitária desde 14 de janeiro pela falta de leitos e oxigênio

Por: Do Estadão Conteúdo  -  20/01/21  -  11:21
Atualizado em 20/01/21 - 11:33
  Foto: Max Rossi/Reuters

O papa Francisco rezou nesta quarta-feira (20), por todos que sofrem pela pandemia do novo coronavírus e, em especial, pela situação enfrentada em Manaus. A capital do Amazonas vive uma grave crise sanitária desde 14 de janeiro pela falta de leitos e oxigênio para os pacientes de covid-19. "Nestes dias a minha oração vai para os impactados pela pandemia, especialmente em Manaus, no norte do Brasil. O Pai Misericordioso os sustenta neste momento difícil", disse Francisco durante audiência geral celebrada na biblioteca do palácio pontificio.


Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!


De acordo com o boletim epidemiológico divulgado nesta terça-feira, 19, mais de 382 pessoas com diagnóstico confirmado ou suspeito de covid-19 aguardam na fila por vagas em UTIs e enfermarias em Manaus.


Em abril de 2020, durante o primeiro pico da pandemia na capital do Amazonas, Francisco ligou para o arcebispo de Manaus, Dom Leonardo Steiner, para prestar solidariedade às vítimas da covid-19. Na ligação, o papa manifestou especial preocupação com os povos indígenas, os ribeirinhos e a população de baixa renda.

Falta de oxigênio


Manaus vive novo colapso do sistema de saúde pelo menos desde o dia 14 de janeiro, quando o estoque de oxigênio acabou em vários hospitais da cidade e levou pacientes internados à morte por asfixia. Desde então, uma operação de guerra foi iniciada para suprir a demanda, que ainda não foi normalizada. A situação também é realidade em municípios do interior do Estado, como Coari, que registrou sete óbitos nesta terça-feira, 19, por falta de oxigênio no hospital regional. Outras mortes por asfixia foram confirmadas em Manacapuru e Itacoatiara.


Logo A Tribuna