Logo A Tribuna
ASSINE
Icone usuario ENTRAR
CLUBE IMPRESSO ACERVO ASSINANTE

Megatraficante de armas deixa cadeia no Rio com alvará falso

João Barbieri fez parte de uma quadrilha que teria enviado mais de mil fuzis ao Brasil dentro de aquecedores de piscina

Por: Do Estadão Conteúdo  -  10/02/21  -  15:23
João Barbieri saiu com um alvará falso
João Barbieri saiu com um alvará falso   Foto: Falco por Pixabay

Considerado um dos maiores traficantes de armas do mundo, João Filipe Barbieri deixou a cadeia no Rio após cumprir apenas três dos 27 anos de detenção. A saída, contudo, não se deu por meio de uma fuga, e sim pela porta da frente - com um alvará falso. Ele deixou o complexo de Bangu, na zona oeste da cidade, em novembro de 2020.


Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!


Revelado nesta terça-feira (9) pela TV Globo, o caso ainda está sendo apurado e envolve a Justiça Federal e a Secretaria de Administração Penitenciária. O traficante é enteado de Frederick Barbieri, homem conhecido como "Senhor das Armas" e que está preso nos Estados Unidos. A quadrilha teria enviado mais de mil fuzis ao Brasil dentro de aquecedores de piscina.


A soltura de Barbieri se deu por meio de uma decisão interlocutória, segundo a reportagem, o que representa que seria uma decisão tomada durante o processo sem a resolução de mérito definitivo do caso. Nesta segunda-feira, 8, após ser questionada pelo desembargador federal Marcello Granado, a Seap informou o número do alvará que culminou na libertação, mas sem anexar os documentos. Eles teriam sido fornecidos pela 8ª Vara Federal Criminal do Rio.


A Justiça Federal, no entanto, nega que tenha emitido qualquer alvará para tirar Barbieri da cadeia. Ao descobrir o esquema, Granado ordenou a prisão imediata dele e de outro preso solto por meio da mesma falcatrua, João Victor Silva Roza, e afirmou que vai pedir explicações à Seap e ao Ministério Público. Procurada, a Seap afirmou que está apurando o caso.


Logo A Tribuna