Logo A Tribuna
ASSINE
Icone usuario ENTRAR
CLUBE IMPRESSO ACERVO ASSINANTE

Mecânico com Covid e desenganado pelos médicos se recupera, e pede a noiva em casamento no hospital

O homem passou 39 dias internado no hospital, 15 desses na UTI. 'Pedi pra Deus'

Por: Por ATribuna.com.br  -  12/03/21  -  01:23
Casal já está junto há quatro anos
Casal já está junto há quatro anos   Foto: Reprodução

Após hemodiálise e ficar intubado por Covid-19, o mecânico industrial Júlio Camargo, de 38 anos, pediu a namorada Fabiana Fernandes, de 43, em casamento no último domingo. O noivo estava há 39 dias internado, sendo 15 deles intubado. Ele chegou a ter 75% do pulmão comprometido e teve infecção generalizada, mas depois de tudo isso recebeu alta no último domingo (9), dia em que fez o pedido. O caso aconteceu em Luziânia (GO).


Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!


Durante a internação, Camargo chegou a perder 25 Kg, e ficou debilitado. Ele ainda precisa de sessões de fisioterapia. Os médicos esperam que ele volte a andar sozinho em até 6 meses. Para fazer o pedido, o casal teve a ajuda da coordenadora de enfermagem, e a equipe do hospital também colaborou nos preparativos do pedido de casamento.


Os funcionários do hospital, após a alta, levaram o mecânico em uma cadeira de rodas até o encontro com Fabiana, a noiva, na entrada do hospital. Nas mãos, ele levava um buquê e o cartaz que dizia "Fabiana, aceita casar comigo?". Ela e Camargo namoram há quatro anos, e se conheceram porque ele é amigo dos primos dela. "Começamos a namorar quando a empresa em que eu trabalhava recebeu um prêmio, e ele me ligou para parabenizar", lembrou a noiva.


História


Fabiana declarou ao UOL que com o início da pandemia, os dois ficaram desempregados, e Camargo voltou para a a casa dos pais, em outra cidade. Na virada do ano de 2020, conversaram sobre o futuro e falaram sobre casamento. Em janeiro, porém, Camargo pegou Covid-19, e precisou ser intubado. O mecânico ficou muito debilitado, e precisava ser transferido para o Hospital Regional de Luziânia. O estado era tão crítico que os médicos tiveram receio que ele não conseguiria resistir à transferência.


Nisso, Fabiana começou com orações diárias, e chegou a ouvir dos médicos que Camargo estava desenganado. "Pedi para Deus que, enquanto ele respirasse, existia esperança. Sou católica e tenho muita fé. No 15º dia intubado, fiz minha oração agradecendo. No dia seguinte, Júlio acordou, e então foi só melhorando", contou ela.


A noiva, que também pegou Covid-19, foi até o hospital inúmeras vezes, mas não podia entrar para ve-lo. Mesmo assim, em vários dias ela chegava pela manhã, e só ia embora à noite. Chegou até a dormir no carro, passar mal e receber atendimento. Ele, logo depois, foi transferido para a enfermaria por 14 dias, e em seguida teve alta, quando efetivou o pedido de casamento.


"O pai e a mãe do Júlio estavam com Covid também. A mãe chegou a ficar hospitalizada, e precisou de UTI durante uma semana mais ou menos. Agora que estão todos bem, tivemos um final feliz. Mais feliz ainda com o pedido de casamento", finalizou Fabiana.


*com informações de UOL


Logo A Tribuna