Logo A Tribuna
ASSINE
Icone usuario ENTRAR
CLUBE IMPRESSO ACERVO ASSINANTE

Lago com centenas de esqueletos humanos gera mistério e intriga cientistas

Mais de 800 esqueletos, alguns com pele e bastante conservados, foram encontrados no local.

Por: Por ATribuna.com.br  -  01/03/21  -  17:45
Atualizado em 01/03/21 - 17:50
Esqueletos foram encontrados em lago congelado
Esqueletos foram encontrados em lago congelado   Foto: Getty Images

Um remoto lago no alto das montanhas do Himalaia, na Índia, vem intrigando cientistas há várias décadas. No local, centenas de esqueletos humanos repousam misteriosamente sem que possam ser facilmente identificados.


Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!


Os restos mortais estão espalhados sob o gelo do local, que fica a 5.029 metros acima do nível do mar e que foi descoberto em 1942. Os esqueletos costumam aparecer quando o gelo derrete e estima-se cerca de 800 corpos no local.


Por conta do frio, alguns esqueletos ainda estão preservados, com pele e carne. Até hoje, porém, ninguém sabe exatamente quem são essas pessoas e por qual razão todos esses esqueletos estão ali.


Teorias falam sobre um antigo rei indiano que teria morrido no local com sua esposa e seus empregados há 870 anos. Outros dizem que são restos mortais de soldados indianos que tentaram invadir o Tibet em 1841.


Um estudo recente, porém, divulgado pela revista Nature, aponta que algumas ossadas possuem mais de 1.200 anos. Alguns óbitos inclusive, aconteceram em espaços de mais de 1 mil anos. Isso acaba com qualquer hipótese de alguma 'catástrofe'.


De acordo com Eadaoin Harney, um dos autores da pesquisa, o que aconteceu no local ainda não está claro. "Hoje, porém, sabemos que a morte desses indivíduos não pode ser explicada exclusivamente por um evento", diz.


Os estudos genéticos mostraram que há esqueletos semelhantes aos encontrados em asiáticos e também aos europeus. O que se sabe, de fato, é que são de grupos completamente diferentes. "Ainda estamos buscando respostas sobre quem eram pessoas pessoas", finaliza Harney.


Logo A Tribuna