Logo A Tribuna
ASSINE
Icone usuario ENTRAR
CLUBE IMPRESSO ACERVO ASSINANTE

Grupos do 'Fora Dilma' fazem carreatas 'Fora Bolsonaro'

Grupos MBL e do Vem Pra Rua protestarem contra o presidente. Em São Paulo, a fila de carros saiu da Praça Charles Muller, no Pacaembu

Por: Do Estadão Conteúdo  -  24/01/21  -  20:01
Em São Paulo teve carreata pedindo a saída do presidente Jair Bolsonaro
Em São Paulo teve carreata pedindo a saída do presidente Jair Bolsonaro   Foto: Roberto Casimiro / Agência Estado

Um dia após carreatas e atos de grupos e partidos de esquerda pedirem o impeachment do presidente da República, Jair Bolsonaro, neste domingo, 24, foi a vez do MBL e do Vem Pra Rua protestarem contra o presidente. Em São Paulo, a fila de carros saiu da Praça Charles Muller, no Pacaembu, e passou pela Avenida Paulista até chegar ao Parque Ibirapuera.


Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!


Segundo os organizadores, cerca de 500 carros participaram da manifestação.

Atos também foram realizados em Belo Horizonte, no Rio de Janeiro, em Belém e Cuiabá.

Para o MBL, Bolsonaro foi "um dos maiores estelionatos eleitorais da história".

"O ato de hoje foi revestido de simbolismo", disse o coordenador nacional do MBL, Renan Santos. "Fizemos o mesmo trajeto do primeiro ato contra (a ex-presidente) Dilma (Rousseff, PT), dia 1ª de novembro de 2014. Desta vez, de carro. Pedimos o impeachment na Praça das Bandeiras. Tal qual em 2014."

MBL e Vem Pra Rua estavam entre os movimentos que encabeçaram os protestos contra Dilma, afastada da Presidência em 2016. Durante o ato deste domingo em São Paulo, o Vem Pra Rua e o MBL compartilharam nas redes sociais a hashtag #DireitaQuerForaBolsonaro.

No sábado, com organização das frentes Brasil Popular e Brasil sem Medo, partidos como PT e PSOL e outros movimentos de esquerda, dezenas de cidades do País, incluindo as maiores capitais, também tiveram manifestações em defesa do impeachment, da retomada do auxílio emergencial e da vacinação para toda a população.


Logo A Tribuna