Logo A Tribuna
ASSINE
Icone usuario ENTRAR
CLUBE IMPRESSO ACERVO ASSINANTE

Filho do cantor Mateus Carrieri passa por transição de gênero aos 13 anos e famoso demonstra apoio

Cantor e dublador que esteve na última edição do programa A Fazenda explica sobre processo de adaptação

Por: Por ATribuna.com.br  -  25/02/21  -  20:15
O menino de 13 anos, antes chamado de Anna, se reconhece como homem trans e agora se chama Domenico
O menino de 13 anos, antes chamado de Anna, se reconhece como homem trans e agora se chama Domenico   Foto: Reprodução/Instagram

Após integrar o elenco da última edição do programa A Fazenda, o cantor e dublador Mateus Carrieri se manifestou pela primeira vez sobre a transição de gênero do seu filho nesta terça-feira (23) por meio do podcast Paternidade.doc. Antes nomeado de Anna Francesca, o menino de 13 anos se reconhece como homem trans e agora se chama Domenico.


Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!


O famoso, que também é pai de Anna Chiara e Kaike, relata que está se adaptando com a mudança. "Uma coisa é você achar natural na casa do vizinho e o grande teste é quando isso entra para dentro da sua casa, né?", questiona. Porém, Mateus afirma que teve uma boa aceitação. "Eu sempre tive essa cabeça, graças a Deus, sem preconceito, achando que estava tudo certo", explica.


De acordo com Mateus, ele percebeu sinais antes de Domenico contar sobre seu gênero. "Eles não veem e contam tudo logo de cara. Nem eles sabem [sobre orientação sexual e gênero]", relata. Mas isso nunca foi um probelma para o cantor. "Se eles vão ter um primeiro namorado ou namorada, isso não tem a menor importância. Dei liberdade para eles serem o que são", conclui.


Apoiando o processo de transição, o cantor e dublador se declara constantemente para o filho por meio das redes sociais.



Ainda em entrevista ao podcast que fala sobre paternidade, Mateus Carrieri que trabalha para usar a nomenclatura que Domenico deseja que seja usada para se referir a ele. "Ele tem que entender quando eu dar uma escorregada, para mim é muito orgânico falar 'minhas filhas'. Eu me policio", comenta.


O cantor e dublador encerrou sua participação demonstrando apoio em relação as opções de seus filhos. "No que eu puder proteger, eu vou. E dentro de casa, que é o porto seguro, vai ser o que ele quiser", finaliza.


*Com informações do Portal Quem


Logo A Tribuna