Logo A Tribuna
ASSINE
Icone usuario ENTRAR
CLUBE IMPRESSO ACERVO ASSINANTE

Empresa cria bateria que carrega carros elétricos em 5 minutos

StoreDot é uma startup israelense que garante que a recarga pode ser tão rápida quanto abastecer os veículos a combustível

Por: Por ATribuna.com.br  -  11/02/21  -  22:58
Bateria usa nanopartículas em vez de grafite na composição
Bateria usa nanopartículas em vez de grafite na composição   Foto: Pixabay

Uma startup israelense anunciou uma bateria que poderá carregar carros elétricos em apenas 5 minutos. Elas já foram produzidas em fábrica, o que pode ser um passo significativo para que seja tão rápido 'abastecer' um veículo à eletricidade quanto um outro movido a combustível. Elas foram desenvolvidas pela StoreDot, e estão sendo fabricadas pela Eve energy, na China.


Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!


De acordo com o fabricante, veículos elétricos são vitais para enfrentar a crise climática, e o para o Meio Ambiente, porém ficar sem carga durante uma viagem ou perder muito tempo para sua recarga é uma preocupação. A desenvolvedora já usou baterias rápidas em telefones, drones e scooters.


De acordo com a StoreDot, as baterias podem ser totalmente carregadas em cinco minutos, mas exige carregadores de potência muito maior do que os usados ​​hoje. Ao jornal The Guardian, o CEO da empresa, Doron Myersdorf, disse que “A barreira número um para a adoção de veículos elétricos não é mais o custo, é a ansiedade”. E completou: “Não estamos lançando um protótipo de laboratório, estamos produzindo amostras de engenharia em uma linha de produção em massa. Isso demonstra que é viável, e está comercialmente pronto”.


Baterias rápidas produzidas pela StoreDot já foram usadas em aparelhos
Baterias rápidas produzidas pela StoreDot já foram usadas em aparelhos   Foto: Reprodução/StoreDot

Diferença


A bateria da StoreDot substitui o grafite das baterias tradicionais por nanopartículas semicondutoras, onde os íons podem passar mais rápido, e mais facilmente. O CEO explica que as nanopartículas são baseadas em germânio, que é solúvel em água e mais fácil de manusear na fabricação. Porém, o plano da StoreDot é usar o silício, que é muito mais barato, e espera esses protótipos ainda este ano. Myersdorf disse que o custo seria o mesmo das baterias de íon de lítio existentes.


De acordo com a empresa, o carregamento extra-rápido dependeria mais agora das estações do que das baterias em si. Ele acredita que dentro de 10 anos, os atuais pontos que existem para carregamento já estarão obsoletos. Quanto aos compostos, outras empresas também estão estudando o carregamento rápido, como a Tesla, Enevate, Sila ou Echion.


*com informações de TheGuardian


Logo A Tribuna