Com novo site, Grupo Tribuna quer expandir o mercado digital na Baixada Santista

Investimentos em mídia digital no Brasil chegaram a R$ 14,8 bilhões em 2017; especialista explica assunto

Por: Daniel Keppler & Paulo Santos &  -  30/10/18  -  13:37
  Foto: Caíque Stiva/AT

Integrar vários veículos de comunicação, fazendo-os unir esforços em uma única plataforma. Esse é o objetivo do Grupo Tribuna, que lançou, nesta terça-feira (29), seu novo Portal. A expectativa é atender de forma mais eficiente uma necessidade do mercado que é tendência no mundo todo. Uma realidade onde a televisão ainda é soberana mas, cada vez mais, divide as atenções do mercado publicitário com a internet, que oferece uma infinidade de soluções editoriais e comerciais.


São várias as pesquisas que ajudam a entender esse movimento. Uma das mais recentes, a Mídia Dados Brasil 2018, revela que o Brasil já representa o quarto maior mercado de usuários de internet no mundo, com 3,6% de participação. Em números absolutos, isso representa por volta de 110 milhões de pessoas, cerca de 40% mais do que há seis anos.


Tal crescimento também se refletiu no investimento em mídia digital, segundo o Interactive Advertising Bureau (IAB), o total passou de R$ 11,8 bilhões em 2016 para R$ 14,8 bilhões no ano seguinte, uma alta de mais de 25%.


O resultado natural de tanto crescimento é maior capacidade de inserção na sociedade: hoje, de acordo com dados da Ipsos Connect, a internet só não tem mais poder de penetração no Brasil do que a TV aberta - e a diferença entre eles só diminui, principalmente nos segmentos onde as mídias virtuais são mais populares: entre usuários da Classe C e na faixa de 20 a 39 anos.


Segundo Batista, integração facilitará o diálogo com o mercado regional
Segundo Batista, integração facilitará o diálogo com o mercado regional   Foto: Caíque Stiva/AT

"Encontrar soluções"


O coordenador de vendas digitais da TV Tribuna, Sidney Batista, vê com otimismo a integração dos veículos, especialmente porque o diálogo com o mercado regional será, na opinião dele, facilitado. "Antes, eram poucos os projetos que a gente conseguia trabalhar de forma efetivamente conjunta, e para uma região como a nossa isso não é bom. Por isso é que será ótimo deixar de trabalhar de forma fragmentada", afirma.


Além disso, Batista observa que, trabalhando com uma só equipe, o departamento comercial pode identificar mais rapidamente quais as melhores soluções para cada necessidade apresentada por um potencial cliente. "No fim das contas, nosso trabalho se trata disso: encontrar soluções. É nosso princípio. E com um veículo mais forte, fica mais rápido enxergarmos caso, por exemplo, ela não esteja na rádio ou no jornal, e sim na internet", detalha.


Essa compreensão é importante, segundo ele, pois nem sempre o anunciante tem certeza sobre como quer expor sua marca - afinal, as possibilidades são muitas, e a cada dia só aumentam.


"A empresa muitas vezes fica confusa, e também faz parte do nosso trabalho ajudá-lo a tomar essa decisão. Mas depende de muitos fatores, como por exemplo se a empresa quer resultados rápidos, ou reforçar relacionamento com o cliente, ou ainda fortalecer sua marca junto ao mercado. Tudo isso é importante, claro, mas às vezes a necessidade não é óbvia. A Apple, por exemplo, faz propaganda de televisão, e muitos acham que ela não precisaria. Mas precisa, pois a empresa quer ampliar sua penetração nas massas e a internet ainda não lhe proporciona isso. Na verdade, no fundo, nem mesmo o jornal perdeu sua atratividade; as pessoas gostam de pegar o jornal, certos hábitos não mudam. Há uma migração, mas acabar não vai", explica.


Credibilidade


Outra consequência positiva do novo posicionamento do Grupo, de acordo com Batista, foi o reforço da credibilidade dos veículos digitais, tanto G1 Santos quanto A Tribuna On-line. "São públicos diferenciados entre si, por isso a partir do momento em que há uma integração, há também uma soma de esforços que acarreta em um ganho de credibilidade. E então, o anunciante passa a pensar duas vezes antes de anunciar em qualquer outro local", diz.


Ele reforça essa questão, ainda, contrapondo as plataformas com o espaço de mídia oferecido atualmente nas redes sociais, onde haveria uma "bolha de confiança" prestes a estourar. "As empresas, aos poucos, começam a perceber que não bastam likes ou compartilhamentos se não há vendas. Mais do que isso, cada vez mais se exige saber qual a origem de uma informação, ou quem administra a página x ou y. Hoje em dia, muitas ferramentas manipulam dados em redes sociais, como robôs que simulam engajamento, e isso é considerado pelo anunciante. Antes não se percebia, mas essa bolha está estourando", declara.


Batista conclui seu raciocínio projetando um futuro muito positivo para o mercado digital, tanto no Brasil quanto na própria Baixada Santista. E esse futuro, segundo ele, beneficiará a todos que apostarem nesse segmento para crescer.


"Para nosso modelo, de produzir conteúdo comercial com credibilidade, é muito bom. Ainda temos a TV, que é muito forte, mas as outras plataformas têm crescido muito, e confiamos em um crescimento ainda maior em um futuro próximo", conclui.


Para Coletti, novos formatos de publicidade vão impactar ainda mais os internautas
Para Coletti, novos formatos de publicidade vão impactar ainda mais os internautas   Foto: Caíque Stiva/AT

Novos formatos


O Portal A Tribuna é reconhecido por seus leitores e anunciantes como um veículo digital que transmite credibilidade e conteúdo de qualidade. E como qualquer projeto que almeja alcançar novos alvos, é preciso se reinventar.


Do ponto de vista comercial, essas mudanças são vistas com bons olhos e prometem ajudar o Grupo a oferecer um produto cada vez mais valorizado no mercado. A partir de agora, o site funcionará com seis plataformas de banners diferentes: Billboard, Maxiboard, Super Leaderboard, Super Banner, Retângulo Médio e DHTML.


O objetivo é unificar o pensamento do mercado, com formatos que já são utilizados pelo G1 – O Portal de Notícias da Globo. Além disso, a ideia é associar marca Tribuna por meio de conteúdos patrocinados,fazendo que o produto ou serviço seja divulgado no padrão do Grupo em formato de notícia.


De acordo com o responsável pela parte comercial de ATribuna.com.br, Rafael Coletti, essa padronização trará uma série de benefícios ao mercado. “Toda essa reformulação garante mais credibilidade, justamente por estar associada diretamente ao conteúdo jornalístico do Portal”, explica.


Coletti afirma, também, que os novos formatos vão impactar ainda mais os internautas, além de trazerem aos clientes um retorno ainda maior com relação aos produtos anunciados. “Acredito que seja um momento especial para o Grupo Tribuna, que promete fortalecer ainda mais a união dos nossos veículos”, finaliza.


Logo A Tribuna