Torcedor cego emociona ao ter jogo 'narrado' pela mãe na Vila Belmiro: "O Santos é a minha vida"

Matheus Meira e Eliane acompanharam o jogo contra o Red Bull Bragantino das arquibancadas do Urbano Caldeira

Por: Daniel Gois  -  20/06/22  -  11:41
Atualizado em 20/06/22 - 11:44
Matheus teve os detalhes do jogo descritos pela mãe na Vila Belmiro
Matheus teve os detalhes do jogo descritos pela mãe na Vila Belmiro   Foto: Reprodução/SporTV

"Minha vida sempre foi e sempre vai ser o Santos. Isso me enche de orgulho". A declaração é do jovem Matheus do Carmo Meira, de 25 anos, cego desde o nascimento e que teve o jogo do último sábado (18), contra o Red Bull Bragantino, "narrado" pela mãe, Eliane do Carmo Meira, nas arquibancadas da Vila Belmiro. A cena emocionou e repercutiu nas redes sociais.


Clique, assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe centenas de benefícios!


Eliane conta que o filho nasceu com deficiência visual total e também é portador do Transtorno do Espectro Autista (TEA), descoberto quando Matheus tinha 9 anos. Eles e o pai do jovem, Altamir, moram em Ribeirão Pires, cidade que fica há 60 km de Santos, e costumam vir para os jogos do Peixe na Vila Belmiro.


"Desde pequeno ele disse que seria santista. Como ele não enxerga, somos os olhos dele. Então é automático descrever ou narrar tudo aquilo que está fora do alcance das mãos dele. Para os deficientes visuais, as mãos são os olhos deles", diz a mãe, em conversa com A Tribuna.


A paixão de Matheus pelo Santos surgiu na infância, com a influência de uma amiga. O amor pelo Peixe falou mais alto que o desejo dos pais tricolores - a mãe é são-paulina e o pai, Altamir, torce para o Fluminense.


"Essa paixão pelo Santos começou com uma amiga. Eu era pequeno, e quando ia pra casa dela, ela cantava pra mim a marcha do Santos, o Leão do Mar, que não é nosso hino oficial. Isso me levou a ter um amor muito grande pelo Santos. Minha vida sempre foi e sempre vai ser o Santos. Isso me enche de orgulho", conta Matheus.


O jovem torcedor ainda quer ver o Peixe no topo do mundo. "Meu maior sonho é ir com o Santos para o Mundial de Clubes. Mesmo com a situação que estamos vivendo, acho que isso não é impossível. Torcer pelo Santos representa tudo pra mim".


Quarto de Matheus é personalizado com itens do Santos
Quarto de Matheus é personalizado com itens do Santos   Foto: Arquivo pessoal/Eliane Meira

Presença nos estádios

A mãe relata ainda que a primeira vez de Matheus em um jogo do Santos ocorreu em janeiro deste ano, na Copa São Paulo, a Copinha. Na ocasião, o Peixe venceu o América-MG por 3 a 0 no estádio Anacleto Campanella, em São Caetano do Sul, pela semifinal.


"Uma das maiores dificuldades do Matheus é sair de casa. Ele fica dentro de um quarto, com seu computador, onde ouve todos os jogos do Santos e estuda a história do Santos. Num jogo da Copinha, o Matheus resolveu que queria assistir (no estádio) e pediu se eu poderia levá-lo. Até então, o Matheus nunca tinha ido em um estádio assistir jogo do Santos. De lá pra cá, em quase todos os jogos na Vila Belmiro temos comparecido", explica a pedagoga.


Santos x Red Bull Bragantino

Matheus e os pais estiveram entre as 10.924 pessoas que assistiram ao empate por 2 a 2 entre Santos e Red Bull Bragantino, pela 13ª rodada do Brasileirão. Léo Baptistão marcou duas vezes para o Peixe, enquanto Hyoran e Luan Cândido fizeram os gols da equipe de Bragança Paulista.


Desde a infância, Matheus é torcedor do Santos
Desde a infância, Matheus é torcedor do Santos   Foto: Arquivo pessoal/Eliane Meira

Logo A Tribuna