Logo A Tribuna
ASSINE
Icone usuario ENTRAR
CLUBE IMPRESSO ACERVO ASSINANTE

Santos e Boca Juniors decidem o último finalista da Libertadores na Vila Belmiro

No confronto de ida, disputado na Bombonera, as duas equipes empataram por 0 a 0

Por: Da Redação  -  13/01/21  -  09:44
Atualizado em 13/01/21 - 10:11
Marinho se encontrou no Santos e hoje é principal referência no elenco
Marinho se encontrou no Santos e hoje é principal referência no elenco   Foto: Ivan Storti/Santos FC

Chegou a hora. Depois do empate em 0 a 0 na quarta-feira passada, em La Bombonera, Santos e Boca Juniors decidem quem vai para a final da Libertadores enfrentar o Palmeiras, que nesta terça-feira (12) despachou o River Plate. O duelo, que começa às 19h15, na Vila Belmiro, coloca frente a frente dois jogadores de trajetórias distintas, mas capazes de decidir o confronto em um único lance: Marinho e Tevez.


Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!


O santista é o primo pobre da história. Aos 30 anos, após defender mais de dez clubes com pouco ou nenhum brilho, ele se encontrou vestindo a camisa do Santos. Na temporada, contando 2020 e o início de 2021, ele soma 21 gols e lidera a equipe com muita determinação e consciência. Do jogador folclórico, que viralizava pelas declarações engraçadas, ele virou líder de um time que começou mal, mas se encontrou sob a batuta de Cuca e agora tenta o tetracampeonato continental.


Do outro lado, Tevez é sinônimo de sucesso. Ele, que rodou bastante, foi campeão por onde passou. Tudo começou no próprio Boca, conquistando a Libertadores de 2003 em cima do Santos. Depois, ele levantou taças por Manchester United, Manchester City e Juventus, entre outros. Aos 36 anos, não tem a força e a explosão de antes, mas ainda é o principal nome da equipe argentina.


Em campo


No confronto de ida, disputado na Bombonera, as duas equipes empataram por 0 a 0. Um novo empate sem gols faz com que a vaga seja definida nas cobranças de pênaltis. Porém, qualquer outro empate dá a classificação para os argentinos pelo gol marcado fora de casa. Quem ganhar, leva.


Para alcançar a decisão, o Santos tem o desfalque do goleiro John, que testou positivo para a Covid-19 – o zagueiro Wagner Leonardo está fora pelo mesmo motivo, mas ele dificilmente seria escalado. Sem o titular no gol, caberá a João Paulo a missão de parar os argentinos. Ele teve boa atuação na vitória sobre o São Paulo, no último domingo, por 1 a 0, pelo Campeonato Brasileiro, e conta com a confiança do técnico Cuca.


Logo A Tribuna