Estafe de Pato está na China para tentar rescisão, e Santos monitora

Amizade entre o empresário André Cury e o técnico Jorge Sampaoli anima os dirigentes do Peixe para ter o atacante

Por: Bruno Lima  -  16/02/19  -  20:38
Não vale a pena sacrificar as finanças do Santos por Alexandre Pato
Não vale a pena sacrificar as finanças do Santos por Alexandre Pato   Foto: Instagram/Alexandre Pato

Cobiçado pelo Santos, o atacante Alexandre Pato, de 29 anos, vive sob a expectativa de rescindir o  contrato com o Tianjin Quanjian, da China, nesta semana. Membros do estafe do jogador estão no país asiático para  resolver a situação. 

Além do Peixe, as diretorias de São Paulo e Palmeiras aguardam uma definição para disputar a contratação do jogador, que quer retornar ao Brasil e atuar no futebol paulista. 

Um dos motivos que levam Pato a querer voltar é ficar perto da namorada Rebeca Abravanel, apresentadora do SBT e filha do empresário e dono da emissora, Silvio Santos. Por isso, de acordo com informações obtidas por A Tribuna On-line, mesmo que a escolha seja pelo time da Vila Belmiro, o jogador irá morar na Capital e descer a serra diariamente para os treinamentos.

Mas essa é uma questão para o futuro. Enquanto o atleta estiver vinculado ao Tianjin Quanjian, o empresário André Cury, responsável por gerenciar a carreira de Pato, não irá abrir negociação com nenhum clube. 

Amigo do técnico

Vencer o poderio financeiro do Palmeiras e superar a identificação que Pato tem com o São Paulo não será fácil para que o presidente José Carlos Peres faça negócio.  Pior: o mandatário santista terá que convencer também Cury a priorizar o Alvinegro. 

O problema é que o empresário se desentendeu com Peres nesta janela de transferências devido às negociações com o atacante Lucas Venuto, agora do Vancouver, do Canadá, e do volante Ronaldo, do Flamengo. Os dois estavam acertados com o Peixe, mas, repentinamente, o presidente santista teria reduzido os valores oferecidos e os negócios foram desfeitos. 

Por outro lado, há relativo otimismo nos bastidores da Vila Belmiro para o sucesso das conversas em razão da amizade que Cury tem com o técnico Jorge Sampaoli. E o argentino não esconde que quer ter o cliente do amigo liderando a sua linha de frente.


Logo A Tribuna