Dodô comemora tropeços dos concorrentes e pede apoio da torcida contra a Chapecoense

O lateral-esquerdo marcou o primeiro gol com a "pesada" camisa do Peixe

Por: Bruno Lima  -  06/11/18  -  00:39
O jogador tem duas assistências na competição e é o segundo maior ladrão de bola do time
O jogador tem duas assistências na competição e é o segundo maior ladrão de bola do time   Foto: Ivan Storti/SantosFC

Conquistar a classificação para a Libertadores de 2019 é o objetivo que une jogadores, comissão técnica e torcedores no Santos. E, mesmo sem saber se poderá disputá-la, caso o objetivo seja alcançado, por conta do fim do seu contrato de empréstimo, o lateral-esquerdo Dodô está empenhado na missão.

Apesar da derrota por 3 a 2 para o Palmeiras, sábado (3), na Arena Palmeiras, o jogador do Peixe comemorou o fato de os concorrente diretos nesta disputa não terem somado pontos na última rodada. O Atlético-MG, sexto colocado com os mesmo 46 do Santos, perdeu em casa para o Grêmio, por 1 a 0, e o Atlético-PR, nono na tabela, com 43, foi superado pelo Internacional, no Beira-Rio, por 2 a 1.

(Também com 46 pontos, junto com Atlético-MG e Santos, o Cruzeiro já está classificado por ter conquistado a Copa do Brasil)

“Nossos adversários diretos (Atlético-MG e Atlético-PR) pelo G6 – grupo de times que vão à Libertadores – também não pontuaram na rodada. Então, seguimos na mesma situação. Agora é um jogo com mando nosso – contra a Chapecoense, segunda-feira (12), no Pacaembu – e precisamos bastante do apoio da torcida para seguirmos fortes na luta pela vaga na Libertadores”, disse o camisa 16 santista ao site oficial do clube.

Dodô, aliás, está em alta com a torcida. Principalmente depois de marcar o gol de empate do Santos, sábado, durante o clássico com o Verdão, no qual o Peixe chegou a estar perdendo por 2 a 0. O tento foi o primeiro do lateral-esquerdo pelo Peixe.

“É muito bom fazer um gol com essa camisa pesada do Santos. Fiquei bem feliz, pois saímos atrás no placar, mas fomos melhores em boa parte do jogo e buscamos o empate. Foi um gol importante naquele momento. Infelizmente, ele não rendeu pontos para a nossa equipe, mas é lógico que foi uma satisfação pessoal. Espero que na próxima vez que marcar eu consiga trazer alguns pontos na tabela”, acrescentou o lateral, que tem duas assistências e é o segundo maior ladrão de bolas da equipe com 62 desarmes, seis a menos do que o líder Alison.


Logo A Tribuna