Logo A Tribuna
ASSINE
Icone usuario ENTRAR
CLUBE IMPRESSO ACERVO ASSINANTE

Decreto libera até 10% do Maracanã para convidados na final da Libertadores

Um decreto do governo do Estado do Rio de Janeiro autorizou que até 7.800 torcedores assistam presencialmente; saiba quem vai poder adentrar ao estádio

Por: Do Estadão Conteúdo  -  23/01/21  -  11:58
Decreta libera mais de 7 mil convidados para assistir a final da Libertadores
Decreta libera mais de 7 mil convidados para assistir a final da Libertadores   Foto: Divulgação

Um decreto do governo do Estado do Rio de Janeiro autorizou que até 7.800 torcedores assistam presencialmente, no estádio do Maracanã, a decisão da Copa Libertadores entre Palmeiras e Santos, no próximo dia 30. Esse número corresponde a 10% da capacidade do estádio, que é de 78.838 pessoas.


Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!

Trata-se do estafe dos dois clubes e da organização do evento - delegações dos clubes, imprensa, dirigentes, convidados, patrocinadores e responsáveis pela segurança. Cada time finalista planeja ainda levar um grupo pequeno de torcedores para assistir ao aguardado jogo.

"O evento relativo à etapa final do Torneio Conmebol Libertadores 2020 não terá a presença de público pagante, sendo, no entanto, autorizada a presença de pessoas devidamente credenciadas pela entidade organizadora, inclusive integrantes da coordenação, realização, segurança e patrocínio do evento e das entidades esportivas participantes até o limite máximo de 10% da capacidade do estádio", diz o artigo 2º do decreto assinado pelo governador em exercício do Rio, Cláudio Castro (PSC), e publicado na edição desta sexta-feira (22) do Diário Oficial do Estado do Rio.

Para entrar no estádio será exigida a realização de exame PCR com material coletado até cinco dias antes da partida e resultado negativo, a checagem de temperatura corporal, uso de máscara de proteção durante todo o tempo em que a pessoa estiver no estádio e respeito às regras de segurança do local.


Logo A Tribuna