Logo A Tribuna
ASSINE
Icone usuario ENTRAR
CLUBE IMPRESSO ACERVO ASSINANTE

Cuca isenta Jean Mota e nega falta de foco do Santos contra o Fortaleza

O meia sentiu o peso do pênalti desperdiçado no primeiro tempo da partida, quando o jogo ainda estava 0 a 0

Por: Bruno Lima  -  22/01/21  -  01:26
Cuca diz que Jean Mota sentiu a perda do pênalti, mas isenta o jogador da derrota
Cuca diz que Jean Mota sentiu a perda do pênalti, mas isenta o jogador da derrota   Foto: Ivan Storti / Santos FC

Um dos jogadores mais experientes do Santos na derrota por 2 a 0 para o Fortaleza, ontem, no Castelão, o meio-campo Jean Mota sentiu o peso do pênalti desperdiçado no primeiro tempo, quando o jogo ainda estava 0 a 0. Segundo o técnico Cuca, nem mesmo uma conversa após o erro recolocou o camisa 41 na partida.


Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!


“O pênalti desperdiçado muda muito o jogo. Não só o pênalti que nós perdemos, mas também o convertido pelo adversário, que passa a ter mais confiança. Se fizéssemos 1 a 0 no primeiro tempo, o emocional passaria a jogar a nosso favor. Mas isso acontece”, disse o treinador, que isentou Jean Mota de qualquer culpa pela derrota.


“Ele sentiu mesmo o pênalti perdido. Conversei, falei que já tinha passado, mas sentiu bastante por ser um dos mais experientes. Até por isso cobrou. Ele bate bem, mas infelizmente hoje bateu mal e isso acontece. É um jogador que tem toda a nossa confiança”, acrescentou o técnico santista.


Cuca ainda fez questão de afirmar que a atuação sem brilho não tem qualquer relação com a final da Libertadores, que será disputada no próximo dia 30, no Maracanã, contra o Palmeiras. De acordo com o treinador, o Campeonato Brasileiro é a principal competição para os atletas que atuaram no Castelão.


“Não é falta de foco, até porque os jogadores que entraram em campo hoje têm o Campeonato Brasileiro como a Libertadores deles. É uma maravilha para esses meninos disputarem o Brasileirão. Houve sim falta de conjunto. Isso acaba prejudicando. Dos 21 jogadores que trouxemos para cá (Fortaleza), 16 são crias da base, e eles vão despertar naturalmente. Não vamos cobrar dos garotos de 16, 17 anos, como o Marcos Leonardo, que resolvam as situações para a gente. Eles ainda estão se encaminhando para serem grandes jogadores”, finalizou Cuca.


Logo A Tribuna