EDIÇÃO DIGITAL

Quinta-feira

13 de Agosto de 2020

Presidentes dos quatro grandes clubes de SP querem que Doria libere a cerveja nos estádios

A ideia é que a venda da bebida alcoólica ajude a receita dos clubes em dia de jogos

A venda de bebidas alcoólicas é proibida nos estádios de São Paulo. No entanto, os presidentes dos quatro grandes clubes do estado querem mudar essa realidade, visando aumentar a receita em dias de jogo. A liberação da cerveja foi pauta de uma reunião nesta segunda-feira (10), na sede da Federação Paulista de Futebol (FPF). A informação é do UOL.

José Carlos Peres, do Santos, Andrés Sanchez, do Corinthians, Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, do São Paulo, e Maurício Galiotte, do Palmeiras, querem convencer o governador João Doria (PSDB) sobre a comercialização e o consumo de álcool nos estádios. Em 2019, o político vetou um projeto de lei que foi aprovado na Assembleia Legislativa que autorizava o ato.

Não é a primeira vez que mandatários das principais forças de São Paulo no futebol tentam reverter o cenário relacionado a venda de cerveja durante partidas. Ano passado, os clubes já haviam se unido para pressionar Doria sobre a decisão. O São Paulo, inclusive, lançou uma campanha com a hashtag "#LiberaBrejaSP" no Twitter.

No estado de São Paulo, apenas os estádios de futebol e ginásios de esporte têm proibição sobre comercialização e consumo de bebidas alcoólicas, conforme a Lei 9.470/1996. Em dias de jogos, a regra fica ainda mais rígida: torcedores só podem beber a um raio de 200 metros de distância das entradas dos locais.

*Com informações de UOL

Tudo sobre: