EDIÇÃO DIGITAL

Domingo

20 de Outubro de 2019

Palhinha exalta grupo e destaca desempenho da Portuguesa na A2: 'Nada é sorte. É trabalho'

Em um jogo de sete gols, a Briosa venceu o XV de Piracicaba por 4 a 3. Um dos tentos foi anotado pelo meia

A noite da última quarta-feira (13) foi uma montanha-russa de emoções para o torcedor da Portuguesa Santista. Em uma partida com duas viradas, a Briosa voltou a vencer em Ulrico Mursa ao se mostrar aguerrida e derrotar o XV de Piracicaba por 4 a 3, pela sétima rodada do Campeonato Paulista da Série A-2. Com isso, a equipe rubro-verde volta a figurar entre os primeiros colocados da tabela de classificação.

Diego Palhinha foi um dos autores dos gols marcados no campo da Briosa neste jogo emocionante. "Estava 2 a 1 para eles, então, eu pensei: 'vou arriscar'. Aí eu arrisquei. Tive a felicidade de acertar. Felicidade muito grande, porque foi o meu primeiro gol. Acredito que seja o primeiro de muitos, para dar essa alegria para nosso torcedor", afirmou o meia após o confronto.

Além de ter comentado sobre o tento anotado, o jogador exaltou o elenco e destacou a campanha da Portuguesa no estadual: "Esse nosso grupo é muito forte. Pode não ter jogadores de grande nome, jogador que veio para ganhar 30, 40 mil reais, mas estamos fazendo um bom trabalho. Nada é sorte. Acredito muito em trabalho".

"Temos jogadores com muita experiência. Por exemplo, o Acleisson, ali no meio-campo. Ele tem uma bagagem muito grande, segura a molecada e vive intensamente o futebol. Não só no dia a dia, nos treinos, mas nos jogos também. Ele briga pela equipe", disse também.

Intensidade e volume de jogo

O técnico Sérgio Guedes costuma frisar a intensidade que ele exige de seu time sobretudo jogando com o mando. Palhinha também evidenciou essa característica da Briosa ao falar sobre isso.

"Toda equipe que vem jogar aqui em casa sabe que botamos intensidade. Temos um poder de fogo muito grande. No primeiro e no segundo tempo, nós criamos muito. E o XV veio, logicamente, por uma bola", expressou.

"Eu vejo como o professor Sérgio vê: toda equipe que a gente enfrentar dentro de casa, a responsabilidade sendo nossa, o volume de jogo que a gente impõe, é normal a gente sofrer, muitas das vezes, um ou outro gol. A equipe está de parabéns pela força que mostrou para buscar a virada. A gente sabe o tanto que a gente correu ali dentro para trazer esses três pontos para nós", comentou ainda.

Acesso

Presente em seis acessos ao longo de sua carreira, o meia diz acreditar que a Briosa brigará para subir para a elite do futebol paulista e confessa que está feliz em Santos.

"Estou muito feliz aqui. Muito feliz pelo momento que estou vivendo na minha carreira e por aquilo que estamos mostrando dentro de campo. A Série A2 é um baita de um campeonato. A gente vê como oportunidade isso, e hoje estamos em terceiro na classificação", concluiu.

Tudo sobre: