Rony vira o jogo e assume o esperado protagonismo no Palmeiras

Atacante foi contratado em fevereiro de 2020 com a expectativa de ser o artilheiro do Verdão na temporada

Por: Bruno Rios  -  31/01/21  -  14:05
  Foto: Divulgação/SE Palmeiras

Uma jornada de renascimento. Assim pode ser definida a trajetória do atacante Rony com a camisa do Palmeiras. Contratado em fevereiro de 2020 com a expectativa de ser o artilheiro do Verdão na temporada, o atleta de 25 anos viu os gols desaparecerem e as atuações ruins se multiplicarem. Porém, nos últimos meses, ele conseguiu virar o jogo e assumir o esperado protagonismo.


Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!


Quando a má fase imperava e os tropeços na bola eram mais comuns que os lances de perigo, o atacante revelado pelo Remo, do Pará, passou a ser alvo da fúria da torcida palestrina nas redes sociais, amargando a reserva com o técnico Vanderlei Luxemburgo. Um enredo inesperado a quem havia sido campeão da Copa Sul-Americana e da Copa do Brasil, em 2018 e 2019, respectivamente, pelo Athletico-PR.


A maior prova de que tudo dava errado foi a demora para sair o primeiro gol com a camisa do Verdão. Foram necessários nove meses para desencantar, na goleada de 5 a 0 sobre o Bolívar, ainda na primeira fase do principal torneio sul-americano - o futebol brasileiro ficou paralisado por quatro meses por conta da pandemia de covid-19, mas ainda assim o jejum de gols impressionava.


Virada


Com a demissão de Luxemburgo, Rony viu no trabalho do técnico interino Andrey Lopes uma chance de se recuperar e não decepcionou. Os chutes que até então teimavam em não entrar e às vezes sequer passavam perto das traves rivais começaram a parar no fundo da rede. De brinde, com Abel Ferreira, o lado garçom do atacante aflorou, com assistências precisas aos companheiros.


Só na Libertadores, o camisa 11 palestrino deu oito assistências e marcou cinco gols. Um desses abriu caminho para a emblemática vitória por 3 a 0 sobre o River Plate, em Buenos Aires, na partida de ida das semifinais da competição.


Em entrevistas ao longo da temporada, o atacante admitiu dificuldades de adaptação e entrosamento com os companheiros, em especial por conta do tempo perdido durante a pandemia. Contudo, sempre deixou claro o desejo de fazer história pelo Verdão, algo devidamente cumprido com a conquista da América, ontem, no Maracanã.


Tudo sobre:
Logo A Tribuna