Logo A Tribuna
ASSINE
Icone usuario ENTRAR
CLUBE IMPRESSO ACERVO ASSINANTE

Palmeiras recebe o River Plate para confirmar a vaga na final da Libertadores

Time brasileiro pode perder por até dois gols para ir à decisão

Por: Do Estadão Conteúdo  -  12/01/21  -  14:16
Palmeiras recebe o River Plate para confirmar a vaga na final da Libertadores
Palmeiras recebe o River Plate para confirmar a vaga na final da Libertadores   Foto: Divulgação/Palmeiras

Montado com jogadores revelados na base e contratações pontuais, o Palmeiras tem tudo para se classificar para a final da Libertadores depois de 20 anos e mostrar o quanto é capaz de superar vários elencos mais badalados que o clube teve nos últimos anos. A equipe de Abel Ferreira recebe o River Plate hoje, a partir das 21h30, no Allianz Parque, com a vantagem de defender a vitória por 3 a 0 da semana passada.


Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!


A equipe jamais esteve tão perto de voltar à final da Libertadores pela primeira vez desde 2000, quando ainda vivia o último ano da cogestão com a Parmalat e perdeu a decisão para o Boca Juniors.
De lá até hoje, o Palmeiras conseguiu no máximo ser semifinalista em 2001 e 2018. Em ambas as ocasiões perdeu novamente para o time argentino. No entanto, a busca pela Libertadores, que a torcida define como “obsessão”, fez o clube sonhar e também apostar alto em várias outras temporadas, sem obter o mesmo êxito.


O Palmeiras conseguiu montar um elenco badalado em 2009 com a ajuda da parceria com a Traffic. Diego Souza, Cleiton Xavier e Keirrison foram alguns dos pilares do time que parou nas quartas de final ao ser eliminado pelo Nacional do Uruguai.


Mais recentemente, a injeção de dinheiro da patrocinadora Crefisa possibilitou a chegada de reforços de peso. O time investiu cerca de R$ 100 milhões para a edição de 2017. Bruno Henrique, Borja, Guerra e Deyverson foram alguns dos nomes contratados com o aporte da empresa. Porém, a campanha terminou logo nas oitavas de final, diante do Barcelona, do Equador.


O aporte da Crefisa em contratações foi abandonado por questão tributária (a empresa foi multada pela Receita Federal) e o futebol foi reestruturado. A ordem passou a ser investir na base e em reforços pontuais.


Prova disso é o time que bateu o River na semana passada. Os 11 titulares ou vieram da base ou por contratações bancadas com recursos próprios. O reforço mais caro foi o atacante Rony, contratado por R$ 27 milhões.


Logo A Tribuna