Logo A Tribuna
ASSINE
Icone usuario ENTRAR
CLUBE IMPRESSO ACERVO ASSINANTE

Xerife revela que Tiger Woods não se lembra do acidente de carro que sofreu

Golfista, considerado o maior de todos os tempos, passou por cirurgia após sofrer lesões na perna direita

Por: Do Estadão Conteúdo  -  25/02/21  -  15:47
Woods se acidentou enquanto dirigia seu carro em uma estrada, em Los Angeles, na terça-feira
Woods se acidentou enquanto dirigia seu carro em uma estrada, em Los Angeles, na terça-feira   Foto: Reprodução

Dois dias depois de ter sofrido um acidente de carro em uma estrada próxima de Los Angeles, Tiger Woods não se lembra do que aconteceu. Quem revelou essa informação foi o xerife Alex Villanueva, do condado de Los Angeles, que investiga o caso. Em entrevista à rede de TV CNN, o policial disse que o golfista, de 45 anos, não tem nenhuma memória da batida que o deixou com lesões sérias, principalmente nas pernas.


Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!


"No hospital, ele foi questionado sobre isso pelos investigadores e ele não se lembrava do acidente em si", afirmou Villanueva, que já havia afirmado que não há evidências que apontem para o crime de direção imprudente. A primeira perícia policial indicou que Tiger Woods não ingeriu álcool antes do acidente.


"Isso é puramente um acidente. Não contemplamos nenhuma acusação neste acidente. Isso continua sendo um acidente. Um acidente não é um crime", disse Villanueva, em entrevista coletiva sobre o caso na noite de quarta-feira.


Primeiro policial a chegar ao local do acidente, Carlos González disse ao programa Today, da rede de TV NBC, que Tiger Woods não parecia ter consciência da gravidade de suas lesões. "Eu não acho que ele estava ciente de quão gravemente ele estava ferido no momento. Pode ser uma mistura de adrenalina, pode ter sido um choque", comentou.


O policial também afirma que o local é conhecido por acidentes sérios, devido ao excesso de velocidade dos motoristas. "Esse trecho específico da estrada é um dos nossos pontos problemáticos. Eu tenho feito isso há um tempo. Já vi colisões fatais no trânsito. Foi uma sorte que o Sr. Woods conseguiu sair dessa com vida", afirmou González.


Apesar de não ter cometido um crime, Tiger Woods, que sofreu cirurgia nas pernas por causa das inúmeras lesões, poderá ser multado, caso tenha usado o celular ou se estava em alta velocidade. O local do acidente tem como permitido 70 quilômetros por hora.


Segundo as autoridades, o carro de Tiger Woods bateu em um canteiro central, atravessou duas pistas na direção contrária, capotou várias vezes e acabou de lado em uma ribanceira. A superestrela do golfe teve que ser retirada de dentro do carro pelo para-brisa, mas estava consciente e chegou a falar com os bombeiros. Uma ambulância o levou até o hospital, onde foi submetido a uma cirurgia.


Os airbags dispararam e o interior do carro permaneceu basicamente intacto, o que, segundo o policial Villanueva, "salvou a sua vida". A frente do veículo ficou destruída. A estrada de duas pistas utilizada por Woods tem curvas através dos subúrbios de luxo de Los Angeles e o lado norte no qual o golfista estava dirigindo desce abruptamente o suficiente para que os sinais avisem os caminhões para usar marchas mais baixas. O limite de velocidade é de 70 quilômetros por hora.


Tiger Woods esteve em Los Angeles no último final de semana como anfitrião do torneio no Riviera Country Club, onde entregou o troféu ao vencedor no domingo. Ele deveria passar a segunda e a terça-feira filmando com a Discovery GOLFTV, com quem tem contrato.


O golfista vinha se recuperando de uma cirurgia nas costas realizada em 23 de dezembro. Foi sua quinta cirurgia no local e a primeira desde que sua coluna vertebral foi fundida em abril de 2017, o que lhe permitiu encenar um retorno notável em 2019. Ele é destaque do golfe desde 1997, quando tinha 21 anos.


Logo A Tribuna