Em grande fase, Luisa Stefani vai jogar a final do WTA 1000 de Montreal

Tenista e sua parceira Dabrowski já foram vice-campeãs do WTA 500 de San José na semana passada

Por: Estadão Conteúdo  -  15/08/21  -  01:30
 Luisa é a tenista numero 22 do mundo, e vive grande fase
Luisa é a tenista numero 22 do mundo, e vive grande fase   Foto: Gaspar Nóbrega/COB

Luisa Stefani vive dias memoráveis. Bronze nos Jogos Olímpicos de Tóquio ao lado de Laura Pigossi, a brasileira conquista uma final de um torneio WTA pela segunda semana consecutiva. Ela e a sua parceira canadense Gabriela Dabrowski derrotaram a russa Veronika Kudermetova e a cazaque Elena Rybakina, por 6/2 e 6/3 neste sábado e avançaram à decisão do WTA 1000 de Montreal, no Canadá.


Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!


Número 22 do mundo, Stefani e Dabrowski, 15ª colocada, já haviam despachado na sexta-feira a principal dupla do mundo formada belga Elise Mertens, líder do ranking, e a bielorrussa Aryna Sabalenka, quinta colocada, e neste sábado passaram com facilidade por Kudermetova e Rybakina.


Stefani e Dabrowski foram vice-campeãs do WTA 500 de San José na semana passada. Ela disputam apenas o terceiro torneio como parceiras e novamente estão na final, repetindo também Ostrava do ano passado.


As adversárias na decisão do torneio canadense serão as mesmas que tiraram o título delas há uma semana em San Jose, a croata Darija Jurak e a eslovena Andreja Klepac, que venceram a polonesa Magda Linette e a norte-americana Bernarda Pera, com parciais de 7/5 e 6/4.


Stefani chega à décima final de WTA de sua carreira e a quinta na temporada. Ela ostenta dois títulos na elite do circuito, ambos ao lado da norte-americano Hayley Carter, em Tashkent, em 2019, e Lexington, em 2020. Com a campanha em Montreal, a brasileira já garante o inédito lugar entre as 20 melhores do ranking mundial de duplas.


Na chave de simples feminina, a final será entre Karolina Pliskova e Camila Giorgi. A checa superou a bielorrussa Aryna Sabalenka por 6/3 e 6/4 e a italiana, grande surpresa do torneio, derrotou a americana Jessica Pegula por 2 sets a 1, com parciais de 6/3, 3/6 e 6/1.


Masters 1000 de Toronto


O grego Stefano Tsitsipas, número três do ranking mundial de tênis, era um dos favoritos para chegar à final do Masters 1000 de Toronto, no Canadá, mas seus esforços se esbarraram em um gigante de mais de dois metros: Reilly Opelka, o 32º colocado do mundo.


O americano de 23 anos bateu o atual vice-campeão de Roland Garros por 2 sets a 1, com parciais de 6/7 (7/2), 7/6 (7/4) e 6/4, em pouco mais de 2h30 de partida.


Com um dos saques mais temidos do circuito, facilitado pela altura avantajada e alcance dos braços, Opelka garantiu sua primeira ida a uma decisão de nível Masters 1000 na carreira, enquanto Tsitsipas tentava conseguir o seu segundo título em torneios que só perdem em pontuação no ranking para os famosos Grand Slam.


Com a vitória inesperada contra o terceiro colocado do mundo, Opelka vai enfrentar Daniil Medvedev, que venceu, por 2 sets a 0, John Isner, outro americano e também gigante de mais de dois metros.


O russo, atual vice-líder do ranking mundial, esteve na final do ano passado e é o grande favorito para faturar o título do Masters 1000 de Toronto neste domingo.


Logo A Tribuna
Newsletter