CLUBE IMPRESSO ACERVO COVID
Argentina se diz disposta a sediar a Copa América sozinha com protocolos de saúde
Conmebol monitora situação da Colômbia, país-sede, após protestos da população contra o governo local
Por: Estadão Conteúdo  -  18/05/21  -  19:59
Presidente argentino disse que país estaria apto para receber competição   Foto: AP

O presidente da Argentina, Alberto Fernández, afirmou nesta terça-feira (18) que, caso a Colômbia não tenha condições de sediar a Copa América devido aos protestos da população contra o governo, pode estudar ser a sede única do torneio sul-americano, desde que seja garantido o cumprimento das medidas sanitárias contra a covid-19.


Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!


"Se todos os protocolos forem cumpridos, estamos dispostos a ver a possibilidade de sediarmos sozinhos", afirmou Fernández em uma entrevista à rádio argentina Radio 10. A Copa América, que seria disputada em 2020, foi adiada para este ano por causa da pandemia do novo coronavírus e está programada para começar no dia 13 de junho e terminar em 10 de julho, com Colômbia e Argentina como sedes.


No entanto, os protestos ocorridos na Colômbia há mais de duas semanas, que já deixaram mais de 40 mortos em um contexto de repressão policial e vandalismo, ameaçam a realização do torneio Muitos manifestantes, que aproveitam os jogos de Copa Libertadores e Copa Sul-Americana para protestarem, pedem que o país desista de sediar a competição.


Embora o governo colombiano insista que, apesar de tudo o que está acontecendo no país, será sede da Copa América, nas últimas semanas foi iniciado o debate de possíveis alternativas, entre elas a de realizar os jogos apenas na Argentina.


"Se a Conmebol puder assumir, estou disposto a estudar (a possibilidade), mas preciso da garantia dos protocolos, pois um dos problemas mais sérios que temos são as cepas que chegam de outros países", disse Fernández nesta terça-feira.


A Argentina vive atualmente a segunda onda de covid-19, com recorde de casos e mortes por dia. Na segunda-feira, o River Plate confirmou mais cinco casos da doença no elenco, restando apenas 10 jogadores disponíveis para enfrentar o Independiente Santa Fe, da Colômbia, nesta quarta-feira, em Buenos Aires, pela Libertadores.


"O que aconteceu com o River estes dias demonstra o que objetivamente pode acontecer. Em um elenco que viaja junto e uma pessoa está infectada, é muito grande a possibilidade de contagiar todos. Temos que garantir protocolos que possibilitem esta Copa América, que com toda a franqueza, é uma Copa América para a TV", declarou Fernández.