Após quase dois meses afastado das quadras, Novak Djokovic vence em Paris

Tenista derrotou o húngaro Marton Fucsovics, por 2 sets a 1, em partida válida pelo Masters 1000 de Paris

Por: Estadão Conteúdo  -  03/11/21  -  00:01
  Número 1 do mundo, Djokovic não jogava desde a final do US Open
Número 1 do mundo, Djokovic não jogava desde a final do US Open   Foto: Divulgação/Wilbledon/Twitter

Após quase dois meses afastado das quadras, o sérvio Novak Djokovic voltou a disputar uma partida de tênis oficial, nesta terça-feira (2), e derrotou o húngaro Marton Fucsovics, por 2 sets a 1, com parciais de 6/2, 4/6 e 6/3, em partida válida pelo Masters 1000 de Paris.


Clique, assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe centenas de benefícios!


Número 1 do mundo, Djokovic não jogava desde a final do US Open, quando foi derrotado pelo russo Daniil Medvedev e teve encerrado o seu sonho de vencer todos os torneios de Grand Slam na mesma temporada, além de passar à frente do suíço Roger Federer e do espanhol Rafael Nadal, todos com vinte títulos.


O principal objetivo de Djokovic agora é fechar a temporada como o número um que está em disputa com Medvedev. O sérvio poderá realizar sua missão em Paris, se ele ganhar seu sexto troféu no torneio ou se for mais longe que o tenista russo na competição.


Se Djokovic tiver sucesso, ele também ultrapassará o recorde do norte-americano Pete Sampras, que terminou seis temporadas na liderança do ranking. Djokovic, nesse caso, faria isso sete vezes.


Portanto, o confronto com Fucsovics foi bastante importante para se saber o nível de confiança de Djokovic, que vinha de três dolorosas derrotas. Duas na Olimpíada de Tóquio e outra na final do US Open.


Djokovic venceu o primeiro set facilmente, por 6/2 em apenas 38 minutos, mas Fucsovics, número 40 do


mundo, reagiu no segundo e marcou 6/4. O sérvio mostrou força no set decisivo e, mesmo sem um bom saque, fechou a partida e obteve a vaga para a terceira rodada, quando vai encarar o vencedor do duelo desta quarta-feira entre os franceses Adrian Mannarino e Gaël Monfils.


Logo A Tribuna
Newsletter