EDIÇÃO DIGITAL

Sábado

16 de Novembro de 2019

Treinador de Elvis, Chuck Norris e Van Damme, Bill Superfoot traz legado a Santos

Imbatível no tatame, o norte-americano se tornou celebridade ao participar de filmes e treinar estrelas de Hollywood

Lenda das artes marciais, o norte-americano Bill Superfoot Wallace esteve nesta sexta-feira (8) em Santos, onde mostrou, aos 74 anos, a vitalidade que o consagrou no caratê e no kickboxing na década de 1970. Imbatível no tatame, ele também se tornou celebridade ao participar de filmes e treinar estrelas de Hollywood. 

Simpático, Bill foi logo explicando para A Tribuna o porquê do apelido. “Eu fiz uma luta de kickboxing em Las Vegas, em 1975, em que chutei o adversário na face com tanta rapidez que ninguém pode ver o chute. Foi muito rápido e o levei a nocaute”, lembrou ele, durante visita que fez à Academia Shinzato, na Vila Matias. 

O convite para vir ao Brasil partiu de um ex-aluno do mestre Yoshihide Shinzato, Carlos Roberto Silva, que desde 1996 mora e trabalha nos Estados Unidos com artes marciais. 

Filho do mestre Shinzato, o mestre Masahiro Shinzato mostrou-se envaidecido com a ilustre presença na academia fundada pelo pai há 57 anos. “Foi com bastante surpresa que recebi a visita desse ícone do caratê, que veio enriquecer a memória do papai”. 

Do tatame para a telona

A trajetória de Bill Superfoot Wallace nas artes marciais começou no judô, aos 18 anos. Mas uma grave lesão no joelho direito o fez mudar para o caratê, aos 21 anos, quando fez dos potentes chutes com o pé esquerdo a sua marca registrada.

Entre os feitos no tatame, Bill conquistou três títulos nacionais consecutivos de caratê. No kickboxing, imortalizou-se emendando uma série de 23 vitórias em defesa do título norte-americano, encerrando a carreira em 1980. 

A fama nas lutas o levou a conhecer, treinar ou contracenar com várias estrelas do cinema. Entre outros, Chuck Norris, Jackie Shan, Jean-Claude Van Damme e até Elvis Presley. 

“Treinei o Elvis Presley em 1974. Um cara muito legal, que quando lutava não deixava que o acertassem, se defendia muito bem. Ele usou o caratê em alguns filmes”, recordou Wallace. 

Morando na Flórida atualmente, Superfoot viaja o mundo ministrando palestras sobre artes marciais. Com um vigor invejável, ele realiza uma demonstração que em nada faz lembrar um senhor de 74 anos em ação.

O segredo? “É continuar me divertindo. Eu amo treinar, trabalhar, lutar, me faz sentir muito bem”, revelou o mito. 

Tudo sobre: