EDIÇÃO DIGITAL

Segunda-feira

20 de Maio de 2019

Skatista de Praia Grande trata lesão em estrutura dos Jogos Olímpicos do Rio

Gabriela Mazetto representa a seleção brasileira de skate. Em 2018, sofreu grave lesão no joelho esquerdo

A skatista Gabriela Mazetto, de Praia Grande, vem se recuperando de uma lesão sofrida no joelho esquerdo no ano passado. Para acelerar o tempo de reabilitação e realizar um tratamento de excelência, a atleta está contando com a estrutura do Centro de Treinamento Time Brasil, no Parque Aquático Maria Lenk, no Rio de Janeiro.

Em um trabalho de parceria entre a Confederação Brasileira de Skate (CBSK) e o Comitê Olímpico Brasileiro (COB), Gabriela, que representa a seleção brasileira de street skate e é um dos destaques da modalidade no país, está sendo tratada em um dos legados dos Jogos Olímpicos do Rio, realizados em 2016.

No ano passado, cerca de 15 dias após o anúncio da lista de integrantes da Seleção de 2018, Gabriela se machucou durante uma gravação em Taiwan.

"Se o skatista ou a skatista se lesiona, temos que dar mais apoio ainda, amparar, pois esse é o momento que eles mais precisam. Esse é o sentimento que temos na Confederação. Hoje, depois de mais de 40 ossos quebrados, sei que se o atleta tiver atenção profissional, volta em alto nível", frisou o presidente da CBSK, Bob Burnquist.

A presença na lista de skatistas selecionados para representar o Brasil no skate em 2019 garante que a skatista permaneça com o apoio que já teve da confederação no ano passado e usufrua de benefícios como o uso das instalações da Rio 2016.

"Imagina se eu não tivesse esse apoio? Me sinto honrada por ter essa chance. Pensei que não ia ficar na Seleção por conta da minha lesão, pois não tive pontuação. Mas me deram a oportunidade de continuar a realizar essa etapa da recuperação. Estou feliz por isso e espero poder pontuar para no final do ano entrar novamente na Seleção", comemorou Gabriela.

Em 2018, a atleta ficou com o terceiro lugar na etapa do Rio de Janeiro do OI STU QS e com a quarta posição no International Skateboarding Open, em Nanjing, na China, poucos dias antes da lesão. No Centro de Treinamento Time Brasil, terá a sua disposição o que há de melhor na recuperação e preparação física esportiva para voltar a competir em alto nível na busca por uma vaga nos Jogos Olímpicos de 2020, em Tóquio, no Japão.

"Estamos trabalhando para isso, mas no momento estamos focados na minha recuperação. Há possibilidade de participar das Olimpíadas? Há possibilidade, sim, mas vamos focar primeiro no retorno", ponderou.

Antes de se tornar skatista, Gabriela chegou a ser atleta da seleção de ginástica artística de Praia Grande. Por coincidência, no Rio, ela está em um dos apartamentos dedicados à modalidade no Centro de Treinamento Time Brasil.

"A estrutura é animal! Estou em um dos apartamentos do pessoal da ginástica. O pessoal aqui é bem receptivo, amoroso, dá bastante atenção, e isso faz o atleta se sentir confiante", completou ela.