EDIÇÃO DIGITAL

Domingo

12 de Julho de 2020

Live de capoeira dá exemplo de inclusão social em Santos

Clécio Vieira Vigo tem síndrome de down e sonha em ser mestre de capoeira

Uma live realizada na última quinta-feira (21) teve como protagonista o capoeirista Clécio Vieira Vigo, de 19 anos, ele tem síndrome de Down e, por quatro anos, foi aluno do projeto Capoeira Inclusiva, da Seção de Esportes Adaptados da Secretaria de Esportes (Semes) de Santos, onde descobriu o que deseja para sua vida.

Na live, Vigão, morador do Embaré, contou sua história nesse esporte, iniciada por vontade própria quando tinha sete anos, na Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Santos, e que deu prosseguimento na Semes. Ali, ele passou a ter um sonho: ser mestre de capoeira e desenvolver projeto na modalidade em uma perspectiva inclusiva.

“Capoeira é alegria, felicidade, inspiração e muito amor. É tudo para mim”, conta Vigão, que atualmente é estagiário na Academia Aruanda de Capoeira, onde auxilia o mestre Everton Taboada. Seu primeiro professor nesta representação cultural que mistura esporte, luta, dança e música foi Cícero Tatu, responsável pela capoeira inclusiva da Semes, onde atua há 20 alunos.

“É uma atividade adaptável às pessoas e ela impulsionou a socialização do Clécio. Ele se tornou uma pessoa mais integrada no mundo, tem o espaço dele para se expressar em um canal no Youtube e tem boa verbalização”, disse Cícero, que acompanhou a evolução de Vigão. “A capoeira é muito atrativa por causa da musicalidade, e consegue, de alguma maneira, fazer com que as pessoas se sintam bem naquele ambiente”, acrescenta o professor.

A live de Vigão, mediada pelo professor de capoeira Everton Taboada, pode ser conferida no Instagram da Academia Aruanda (@capoeiraaruanda).

Tudo sobre: