Colégio Adélia conquista o 15º título do A Tribuna de Surf Colegial

Com 3.160 pontos, o colégio de Guarujá garantiu o topo do pódio, seguido de Dom Domênico e Objetivo

Guarujá dominou a 23ª edição do A Tribuna de Surf Colegial. As três primeiras escolas na classificação são do Município. Quem levou a melhor foi o Colégio Adélia Camargo Corrêa, que, com 3.160 pontos, conquistou o título da competição pela 15ª vez. Na sequência vieram Don Domênico (2.851) e Objetivo (2.610).

Para garantir mais esse título, o Adélia contou com Eduardo Motta. Aos 16 anos, ele se despede do esporte amador em grande estilo. No domingo (18), o surfista foi o campeão da categoria júnior (sub-18) conquistando nada menos que 16.67 dos 20 pontos possíveis na final.
 
O evento foi realizado no domingo (18), na Praia do Tombo, em Guarujá. O tempo ajudou e a areia ficou lotada desde as primeiras baterias. Motta, número 215 no ranking do World Qualifying Series (WQS) – divisão de acesso do surfe mundial –, dominou todas as etapas. 

“Consegui me conectar com o mar desde o início. Fiz boas somatórias e mantive o nível até o fim”, disse o atleta, que, no início de dezembro, vai para Taiwan (China) participar do Mundial Pro Junior da World Surf League (WSL). “Estreei no profissional no início do ano, mas não poderia deixar de prestigiar o Tribuna Surf. Estou feliz com a vitória”. 

Outro nome favorito na competição confirmou a expectativa. Gustavo Giovanardi, 15 anos, da EM Lions Clube Ocian, de Praia Grande – campeão sub 16 no Circuito Vicentino de Surf South to South 2018 – venceu na categoria mirim, com 11.84 pontos. O início, porém, foi complicado. “As condições na água não estavam fáceis, tive que ir me adaptando. Na semifinal fiz boas ondas e cheguei mais seguro na final. Deu certo”, comemorou.

Na categoria iniciante, quem ficou com o título foi Tierre Alves, de 13 anos, atleta da EMEF Sirana Koukdjian, de Mongaguá, que alcançou 11.83 pontos na finalíssima. “Não comecei bem a primeira bateria. Procurei encaixar meu surfe aos poucos”, disse o garoto, que pratica o esporte desde os nove anos.

No feminino, a campeã foi Kemily Sampaio, 14 anos, da Escola Celestin Freinet, de Praia Grande. “Consegui pegar duas ondas boas na final. Me garantiram a vitória”.

O organizador do evento, Marcos Bukão, se disse realizado após 23 anos de competição. “Aliamos educação e esporte. Festa vez, foram 60 surfistas de 40 escolas do Litoral. Nos tornamos um celeiro de campeões”.

Tudo sobre: