Léo Santos rejeita favoritismo do São Paulo e diz: "Somos o único paulista que ganhou um título"

Equipes se enfrentam às 17 horas, do sábado (16), na Arena de Itaquera. Tricolor nunca venceu lá

Por: De A Tribuna On-line  -  06/11/18  -  20:21
Zagueiro acredita que sua equipe pode vencer o Majestoso
Zagueiro acredita que sua equipe pode vencer o Majestoso   Foto: Luis Moura/WPP/Folhapress

O Zagueiro Léo Santos não classificou o São Paulo como favorito para o clássico contra o Corinthians, no sábado (9), às 17 horas na Arena de Itaquera e disse o porque. "Somos a única equipe paulista que ganhou um título esse ano". O Timão conquistou o Paulistão em cima do Palmeiras.


O momento do Tricolor é melhor que o do alvinegro e isso, em tese, faz o favoritismo mudar de lado. Se no primeiro turno o Corinthians vinha com mais moral para a partida, dessa vez, a situação é diferente. O Timão vive um mau momento na tabela do Brasileirão e vem sendo assombrado pelo fantasma do rebaixamento (a equipe está em 12º e a cinco pontos do Z4).


Mesmo assim, o zagueiro Léo Santos disse que o jogo pode ser um divisor de águas e levantar a moral da equipe para esse final de Brasileirão. "Quando se fala de clássico, é sempre jogo decisivo, independente da situação. Pela nossa, será importante. E clássico tudo pode mudar, tudo pode ficar favorável no nosso final de ano".


Questionado se o elenco de Diego Aguirre é melhor que o de Jair Ventura, o defensor do Timão falou que ninguém do lado corintiano tem menos qualidade. "Não acho que nosso elenco é inferior do São Paulo, independente da posição em que o São Paulo esteja, temos jogadores de qualidade e temos condição de passar por esse momento. Somos o único time paulista que tem um título neste ano. O Palmeiras está próximo, mas São Paulo e Santos não ganharam títulos neste ano".


Ainda falando sobre o Majestoso, Léo também disse que o fator casa pesa. De fato ele tem um peso. O São Paulo nunca venceu o Corinthians na Arena de Itaquera. Desde 2014, ano de inaguração da Arena, as equipes se enfrentaram oito vezes e o alvinegro ganhou seis e empatou duas. Foram 19 gols marcados e sete sofridos.


"A Arena pode fazer total diferença, nunca perdemos para o São Paulo lá. Nosso torcedor pode fazer total diferença no sábado, ele nos ajuda a empurrar o time, nunca nos deixa de apoiar. Independente da nossa situação, sabemos a dificuldade de jogar na Arena, é diferente, os adversários comentam, vamos tentar usar essa carta na manga a nosso favor", disse o zagueiro sobre o tabu.


Balanço do ano


Além de responder a perguntas sobre o clássico, defender a permanência de Jair Ventura no comando técnico da equipe, Léo também analisou seu ano e disse que está crescendo como profissional.


"Estou vivendo uma experiência única, infelizmente nossa fase não é das melhores. Em 2016, quando subi, o time não estava nessa situação de rebaixamento, mas também não estava bem. Eu não estava jogando, hoje estou, vou criando casca, passando por várias situações. É bom para crescer como profissional".


No balanço feito pelo zagueiro, é impossível não lembrar do erro dele na segunda partida da final da Copa do Brasil, contra o Cruzeiro, que originou o gol da Raposa. Na ocasião, Léo Santos dividiu a bola, caiu no chão e ficou reclamando de falta para a arbitragem. No contra-ataque, como a infração não foi marcada Robinho fez balançou as redes.


"Realmente, foi uma experiência ruim no momento, uma coisa que eu queria muito era ser campeão da Copa do Brasil aos 19 anos, foi bom para aprender. Quando jogo, fico muito confiante, isso me atrapalhou, me senti muito confiante de dominar a bola e sair jogando, mas a gente aprende com os erros, vou tomar mais cuidado, essa autoconfiança é boa, mas pode me atrapalhar como naquele lance. Com o passar do tempo e dos jogos vou aprendendo. Essa questão de jogar mais simples, sempre me orientaram, mas é uma coisa de mim, da maneira que eu jogo, não vou mudar a maneira que eu jogo e que me trouxe ao profissional por causa de um erro. Não vou forçar para não me expor, mas não vou mudar a maneira como eu jogo na minha carreira ", analisou.


Questionado se estava preparado para entrar numa decisão de Campeonato ele respondeu que sim. "Preparado eu estava, trabalhei muito pela oportunidade. Claro que vou aprender muito e adquirir a experiência, mas só vou aprender jogando, não adianta jogar dois jogos em 2018, dois em 2019. Tenho que ter sequência para ficar experiente e pegar essa malandragem".


Logo A Tribuna