Léo Santos, do Corinthians, sai em defesa de Jair Ventura no comando da equipe

Durante entrevista coletiva, defensor alvinegro falou bem do treinador e que ele lhe ajuda

Por: A Tribuna Online  -  06/11/18  -  18:58
Zagueiro disse que Jair o ajudou a se manter bem depois do erro na Copa do Brasil
Zagueiro disse que Jair o ajudou a se manter bem depois do erro na Copa do Brasil   Foto: Luis Moura/WPP/Folhapress

O zagueiro Léo Santos, do Corinthians, concedeu entrevista coletiva na tarde desta terça-feira (6) e, por causa do mau momento que o Timão vive, foi bombardeado de perguntas com os assuntos rebaixamento e Jair Ventura. O time está em 12º segundo lugar no Campeonato Brasileiro e está a cinco pontos da zona de rebaixamento.


"Acho que o Jair tem me dado bastante confiança, sempre conversa e dá toques da maneira como devo me comportar em campo. Foi fundamental após a Copa do Brasil, tive um erro, fiquei chateado e ele me ajudou bastante, me deu confiança para eu seguir jogando do jeito que eu jogo", disse o zagueiro.


Sob o comando de Jair Ventura, o Corinthians começou a flertar com a zona de rebaixamento, a receber críticas de parte da torcida e visitas de organizadas (Gaviões e Pavilhão Nove) no CT. A situação não é das melhores, mas o defensor saiu em defesa do treinador.


"Conversamos entre nós, não colocamos a culpa no treinador, ele está para nos ajudar, passa as instruções, mas em campo passa pelos jogadores, temos que fazer acontecer, não é ele que entra em campo para jogar".


Questionado sobre a possibilidade de disputar a série B em 2019, pois o Corinthians está há cinco pontos do Z4 e ainda não conseguiu chegar a pontuação que matematicamente o livra do descenso (45 pontos), Léo Santos mostrou que os atletas preferem não comentar isso e apenas trabalhar para fazer o melhor.


"Quando conseguimos a vitória, o clima fica mais leve, temos tranquilidade para trabalhar, e quando a derrota vem, é normal, é o Corinthians, a cobrança vem. É uma situação de se preocupar, são cinco pontos da zona, mas a gente procura não falar muito disso, procuramos trabalhar. São seis decisões e vamos jogo a jogo atrás dos seis pontos para deixar essa história de rebaixamento para trás".


Logo A Tribuna