Jair comenta futuro com bom humor: "Todos treinadores do mundo estão ameaçados"

Técnico do Timão tem 33,33% de aproveitamento a frente da equipe

Por: De A Tribuna On-line  -  09/11/18  -  17:39
Treinador não vive bom momento no Timão e seu futuro na equipe está ameaçado
Treinador não vive bom momento no Timão e seu futuro na equipe está ameaçado   Foto: Daniel Augusto Jr/Ag Corinthians

Jair Ventura participou de entrevista coletiva nesta sexta-feira (9). Perguntado sobre as declarações do presidente Andrés Sanchezsobre seu futuro no clube, o treinador do Corinthians respondeu com bom humor.


"Todos os treinadores do mundo (estão ameaçados). Depois do que a gente viu que aconteceu no Real Madrid, ninguém está garantido em 2019. Eu ia ficar preocupado se o Andrés dissesse que eu estava prestigiado. Quando fala que está prestigiado... Ou cai no mesmo dia ou no dia seguinte", explica Jair.


O técnico do Timão ainda ressaltou que Andrés é sincero, que vive o dia a dia da equipe e sabe como as coisas funcionam. "O Andrés está sempre aqui, é um cara sincero, falou uma verdade. Ele está no dia a dia, tem o feedback dos jogadores. Nossos números não são bons. Eu sabia das dificuldades quando assumi, não fugi da responsabilidade, como não fujo dos números ruins. Espero melhorar para ter uma pré-temporada, pegar um trabalho do início e vencer títulos".


Desde que chegou ao Corinthians, Jair Ventura comandou o Timão em 13 jogos. Foram três vitórias, quatro empates e seis derrotas, com um aproveitamento de 33,3%.


Neste sábado (11), o treinador vai encarar o São Paulo, às 17 horas, na Arena do Timão, em Itaquera. Para Jair, o clássico terá um jeito diferente que qualquer outro jogo.


"É clássico. Se você ver a tabela, o São Paulo está na parte de cima, nós estamos na parte intermediária. Mas é clássico, teremos casa cheia, 35 mil ingressos vendidos, torcida vai nos empurrar. Espero que a gente esteja atento aos detalhes, que têm nos custado caro nos últimos jogos. Hoje eu só treinei bola parada. Foram 46 treinos desde que cheguei aqui e em toda véspera de jogo eu treinei bola parada. Não é falta de treinamento, mas de concentração".


Logo A Tribuna