Zona Noroeste pode definir o próximo prefeito de Santos, indica IPAT

O recorte é o único em que há uma margem significativa entre os dois primeiros colocados na corrida eleitoral

Os eleitores da Zona Noroeste e Morros podem definir o próximo prefeito de Santos. O recorte é o único em que há uma margem significativa entre os dois primeiros colocados na corrida eleitoral, conforme a rodada inicial de intenção de votos apurada pelo Instituto de Pesquisas A Tribuna (IPAT). 

Assine A Tribuna agora mesmo por R$ 1,90 e ganhe Globoplay grátis e dezenas de descontos!

Leia Mais:

Rogério Santos, Vicente Cascione e Banha aparecem empatados na corrida ao paço santista

Bolsonaro pode ser ‘pedra no sapato’ dos candidatos a prefeito

Gestão de Paulo Alexandre Barbosa é bem avaliada, indica IPAT

66,7% do eleitorado não definiu candidato a vereador

Mesmo sem ter nome nas urnas, Paulo Alexandre Barbosa lidera pesquisa espontânea, diz IPAT

Rogério é preferido entre os jovens, Cascione no eleitorado mais velho

Indicado por Paulo Alexandre Barbosa, Rogério Santos conseguiu obter uma parcela do eleitorado do atual prefeito nos bairros periféricos. O ex-secretário municipal de Governo lidera nos Morros e Zona Noroeste com 13,3% de lembrança dos santistas.  

Trata-se de uma diferença de 8,2 pontos percentual ao segundo colocado. O posto é ocupado por Antonio Carlos Banha Joaquim, com 5,1%. Vicente Cascione aparece na sequência, com 3,6%. 

O advogado, contudo, lidera na orla e na zona intermediária. Nos bairros mais próximos à mar, a disputa deve ser voto a voto. Cascione aparece com ligeira vantagem, sendo a escolha de 12,6% do eleitorado. Já Rogério, está a apenas 0,8 ponto percentual, obtendo 11,8% dos santistas residentes da área nobre. 

Cascione abre maior vantagem frente aos adversários na zona intermediária, com 14,4%. Rogério aparece no segundo posto, sendo lembrado por 8,1% dos santistas e Banha, por 7,2%. Os indecisos somam 43,8% na orla, 53,6% na Zona Noroeste e Morros, bem como 45,9%, na faixa intermediária. 

Rejeição 

Banha registrou a maior fatia de rejeição nas três regiões santistas. Na Zona Intermediária, o atual representante do Legislativo é recusado por 11,4%. Na orla, esse percentual cai para 9,3% e, na Zona Noroeste, para 7,1%. 

Apesar de ser o mais lembrado na orla, nesses bairros Cascione também teve sua maior recusa: 5,9% afirmaram não votar no ex-deputado federal. Percentual que recua para 3,6% na Zona Noroeste, e 3,9%, na faixa intermediária. Entre os primeiros colocados, Rogério teve a menor taxa de rejeição: 3,2% na orla, 1% na Zona Noroeste e 2,2% na zona intermediária. 

O IPAT ouviu, a pedido de ATribuna.com.br, 800 eleitores santistas entre os dias 15 e 16 de setembro, levando em conta a população proporcional de cada bairro. O intervalo de confiança do levantamento é estimado em 95%, com margem de erro estatístico de 3,5 pontos percentuais para mais ou para menos. A pesquisa foi registrada na Justiça Eleitoral, como número de identificação SP-02729/2020.

Tudo sobre: