Pré-candidatos em São Vicente comentam resultado de pesquisa e demonstram confiança

Indicando concentração em três nomes, pesquisa desperta ânimo nos demais citados

A corrida eleitoral nem está oficialmente aberta em São Vicente, mas os pré-candidatos já se mostram ansiosos para trabalhar. Tecnicamente empatados, dentro da margem de erro do levantamento (3,5%), estes três lideram as intenções de voto apuradas pelo Instituto de Pesquisa A Tribuna: Solange Freitas (PSDB, 20,2%), o atual prefeito, Pedro Gouvêa (MDB, 17,1%), e Kayo Amado (Pode, 15,1%). 

Assine A Tribuna agora mesmo por R$ 1,90 e ganhe Globoplay grátis e dezenas de descontos!

Sem jamais ter disputado cargo eletivo, a jornalista Solange Freitas afirma que encara “com esperança esses indicativos". "Acredito que seja fruto não só dos últimos meses, mas também de todo o trabalho da minha carreira, de conhecer o povo, denunciar os problemas. Os vicentinos me veem como uma oportunidade de fazer o novo e a diferença na Cidade. É esse carinho que quero devolver a eles com muito trabalho”.

Pedro Gouvêa (MDB) não demonstrou surpresa com os números. “Seguimos confiantes no nosso trabalho, com a certeza de que estamos no caminho, com responsabilidade e compromisso com o vicentino. São Vicente precisa ir em frente. Sem retrocesso”, diz.

Kayo Amado (Pode) destaca a força do partido e o engajamento da população com a sigla. “Conseguimos ver que, nos últimos quatro anos, a aproximação do povo conosco só cresceu. Eu nunca deixei de andar pelas feiras, pelos bairros, me reunir com os moradores, dar ouvidos às necessidades de cada canto de São Vicente”, afirma. 

Outros citados

Depois, aparece o advogado Luiz Carlos Gianelli (PSD), com 1,4%. “Fiquei muito satisfeito com os números apresentados, porque mostram uma eleição completamente indecisa. No meu caso, que ainda sou desconhecido por mais de 90% da população, tive grata surpresa na intenção de votos. Estou confiante em que chego ao segundo turno.” 

Para Analia Silva (PT), com 1,1%, é “natural” a liderança “de nomes mais conhecidos, e a pesquisa mostra justamente isso. Já estamos crescendo e isso será ainda mais evidente conforme nossas propostas forem apresentadas. Os eleitores do PT irão levar uma mulher, da Área Continental, com um olhar mais social, ao segundo turno”. 

Mônica Batalha (PRTB) teve 0,8% e aposta na indecisão dos vicentinos. “Muita coisa pode e deve mudar. Outro fator a ser observado é que nem sempre os números das pesquisas permanecem até a hora das urnas.”

Empatados na última posição, estão Valquírio Martins (SD) e o ex-prefeito Luís Cláudio Bili (PTB), com 0,4%. O pré-candidato do Solidariedade afirmou que respeita a pesquisa, mas que não enxerga dessa maneira a realidade das ruas. 

Bili se disse feliz com o nível de rejeição (18,9%, inferior apenas à de Pedro Gouvêa). “Amei o resultado porque, apesar de minha intenção de voto ainda não ser boa, minha rejeição diminuiu muito. Nunca fui bom de pesquisa, e sim, de urna. Não tenho dúvida de que estarei no segundo turno e ganharei as eleições.”

Tudo sobre: